quarta-feira, 30 de setembro de 2009

LECCIÓN DE ESTUDIANTES

Sem dúvida o Estudiantes é o melhor time argentino no momento. O ano de 2009 foi a prova disso. O clube pode fechar o ano com mais uma conquista, desta vez a nível nacional. No primeiro semestre, a equipe comandada por Alejandro Sabella priorizou a Libertadores da América e levou o troféu de volta para La Plata, quebrando um jejum de 39 anos. Àquela altura, o Torneio Clausura foi deixado de lado e o Estudiantes fez uma campanha ruim, mas quem se importava? Agora, no segundo semestre, Verón e sua trupe têm grande chance de ganhar o Torneio Apertura. Jogando sem pressões, uma vez que a equipe já está classificada para a próxima Libertadores e não está na Copa Sul-Americana, os pincharatas podem se dedicar exclusivamente ao Campeonato Argentino. Ganham porque mostram ambição. A sede pela vitória os move.

No último fim de semana, o Pincha derrotou sem fazer muito esforço a um debilitado Boca Juniors por 2 a 1. Eu digo sem esforço porque se o Estudiantes jogasse como jogou a final da Libertadores o placar seria maior. Calderón e Enzo Pérez(foto) anotaram para o conjunto de La Plata, enquanto o incansável Palermo deixou mais um a favor do Xeneize, que mais uma vez não contou com Riquelme. O 10 ainda sente uma lesão no tornozelo esquerdo e também vai desfalcar o Boca na próxima rodada frente o Vélez, na Bombonera.

Se o Estudiantes é um aluno aplicado, o mesmo não pode-se dizer do Boca. A equipe faz a sua pior campanha na História. Isso mesmo! Desde que o profissionalismo foi implantado na Argentina, em 1930, o Boca Juniors nunca teve um ano tão ruim como 2009. Até aqui o Boca conquistou apenas 36% dos pontos em disputa. Isso somando o aproveitamento atual com o do Clausura. Em 25 jogos disputados em torneios locais foram sete vitórias, seis empates e 12 derrotas. O time ainda não conseguiu vencer duas partidas consecutivas, uma lástima. Com isso, o técnico Alfio Basile fica cada vez mais isolado. Já perdeu o apoio da direção do clube e um resultado que não seja a vitória frente ao Vélez pode lhe custar o cargo.
Se jugó la fecha

A sexta rodada teve um momento de rara beleza. O golaço de Cristaldo, do Vélez. Uma bicicleta perfeita para marcar o segundo gol na vitória de 2 a 0 do Fortín sobre o Huracán, no José Amalfitani. O clube de Liniers segue na disputa com dois pontos a menos em relação ao Estudiantes. Já o Globo sente muito a ausência de seus jogadores negociados, Defederico e Pastore. O clube de Parque Patrício marcou apenas um ponto em seis rodadas e é o lanterna. Desta maneira a classificação para a próxima Libertadores fica ameaçada.

O River bem que tentou e quase venceu. Depois de estar vencendo por 2 a 0, com gols de Villalba e Buonanotte, o Millonário deixou o Gimnasia empatar a partida. Os gols do Tripero foram de Ormeño e Cuevas. Isso em pleno Monumental de Núñez. No clássico de Avellaneda, vitória do Independiente sobre o Racing, 2 a 1. E como último destaque, o triunfo do San Lorenzo, fora de casa, sobre o Tigre por 3 a 2. Detalhe que o técnico do Ciclón, Simeone, escalou nove jogadores da base. A prioridade nos lados do Bajo Flores é a Copa Sul-Americana.
Demais jogos: Godoy Cruz 2 x 4 Argentinos, Banfield 2 x 1 Newell’s, Chacarita 1 x 0 Arsenal, Rosário Central 0 x 1 Colón, Atlético Tucumán 2 x 2 Lanús.

Classificação: Estudiantes 16, Vélez 14, Banfield 14, Rosário Central 13, Argentinos 12, Colón 11, Independiente 10, San Lorenzo 10, Newell’s 10, Godoy Cruz 8, Atlético Tucumán 7, Arsenal 7, Boca 5, River 5, Lanús 5, Gimnasia 5, Racing 4, Chacarita 3, Tigre 3 e Huracán 1.

Pontuação para a Libertadores: Colón 45; Lanús 43; Huracán 39; Rosário Central 38; Banfield 37**Os três primeiros nesta classificação vão para a Libertadores, juntamente com Estudiantes e Vélez Sarsfield, já classificados, e o campeão do atual Torneio Apertura.

Es solo fútbol!
“Tomara que caia um temporal e o avião não chegue”. A frase foi dita pelo técnico do Cienciano, Marcelo Trobbiani, sobre o confronto com o San Lorenzo, pela Copa Sul-Americana, na próxima quinta-feira. Na primeira partida, o time argentino venceu por 3 a 0. Os peruanos precisam marcar pelo menos quatro gols de diferença para se classificar de maneira direta.

Por Raphael Martins

terça-feira, 29 de setembro de 2009

FARRA DO BOI NA TERRA DO PATINHO FEIO

Olá blogueiros. Ontem na décima sétima edição do Passando a Bola – Mesa Redonda, o nosso amigo, Felipe Vasconcellos, deu um toque final espetacular. Felipe tratou de se posicionar de forma dura e objetiva contra a candidatura do Rio de Janeiro para os Jogos Olímpicos de 2016 (3ª bloco do Passando a Bola – Mesa Redonda). Vale lembrar que o anúncio da cidade vencedora acontece nesta sexta-feira, em Copenhague, na Dinamarca.

O toque final do Felipe me motivou! Já venho há algum tempo amadurecendo um posicionamento contrário à candidatura carioca. Principalmente depois da farra do boi que virou a administração do dinheiro público. Se a gente não tem a capacidade de cumprir os encargos Pan-Americanos, como vamos cumprir as exigências olímpicas? Com isso, o que me faz pensar que agora tudo será diferente? Por isso sou contra!

E tem mais, não posso ser a favor de uma candidatura que apenas para preparar a divulgação (publicidade), dossiê (700 kg) para apresentação, viagens para Europa, banquetes e bajulação para políticos, dirigentes e membros do COI, gasta um valor de 100 milhões de Reais. 80% desse valor está saindo dos cofres públicos por intermédio do Ministério dos Esportes. É bizarro ver um bando de políticos e dirigentes sendo bancados em hotéis de luxo e restaurantes cinco estrelas. Enquanto isso, na Cidade Maravilhosa, um sequestrador ameaça refém por algumas horas e tem que ser abatido com um tiro na cabeça.

Outro ponto que me deixa muito (P) da vida! É o desperdício do dinheiro, do nosso dinheiro. Há dois anos esse mesmo Comitê Organizador (dirigido pelo secretário Carlos Roberto Osório) gastou 610 milhões de reais com os equipamentos olímpicos (estrutura física onde se realiza os eventos esportivos) incluindo a Vila Pan-Americana. Com exceção do Estádio Olímpico João Havelange, todas as praças (Parque Aquático Maria Lenk, Velódromo, Hípica de Deodoro, complexo do Maracanã e Riocentro) vão receber investimentos para ampliação e melhoria para os Jogos 2016, caso o Rio seja escolhido. Os milhões gastos em 2007 serviram para que?

Infelizmente não para por aí. A Vila Pan-Americana, construída para o Pan de 2007, não será reaproveitada para uma possível Olimpíada. O equipamento que teve um orçamento de 267 milhões de Reais está largado. A promessa de se tornar um condomínio moderno e familiar caiu por terra. A empreiteira responsável não finalizou as obras POR FALTA DE PAGAMENTO e as poucas famílias que vivem lá lutam na justiça, até hoje, por uma solução. Mas está tudo bem, o programa olímpico prevê uma gigantesca Vila Olímpica nas proximidades do Riocentro. Com direito a praia particular para os atletas e outros requintes.

Fica a pergunta: Por que não construir uma Vila para o Pan, que pudesse ser aproveitada para os Jogos Olímpicos?

O investimento para os equipamentos olímpicos estão na casa dos 1,3 bilhões de Reais. Ao meu ver, parece um aporte financeiro para uma cidade que não possui nenhuma estrutura esportiva. Nem parece que o Rio sediou um Pan-Americano há dois anos. Por isso que eu, o Felipe e mais um monte de gente não torce por essa vitória em Copenhague. Como eu vou ser a favor de colocar toda essa grana (cerca de 30 bilhões de Reais) nas mesmas mãos que superfaturaram o orçamento do Pan em 1000%? E essas mãos são de Carlos Arthur Nuzman - Presidente do COB e do Comitê Organizador -, Ruy Cezar - Secretário para Rio 2016 da Prefeitura - e Carlos Roberto Osório - Secretário geral do Comitê Rio 2016.

Como todos sabem o anúncio da sede será feito em Copenhague na Dinamarca. Vocês sabem quem é o maior ídolo da cidade? É o escritor Hans Christian Andersen (1805-1875). Andersen foi o criador da fábula "O Patinho Feio". A história do sofrimento do filhote de cisne que, por ser diferente da ninhada de patos com que havia sido criado, era marginalizado e chamado de “patinho feio” comoveu gerações. Na história o filhote cresce e se torna um lindo Cisne.

Parece um capricho do destino que a cidade onde será anunciada a sede dos Jogos seja exatamente a cidade onde nasceu o Patinho Feio. Fazendo uma metáfora, o Rio seria esse patinho feio entre os finalistas. Das quatro cidades que disputam os jogos o Rio, é a menos preparada. Uma cidade de um país de terceiro mundo, com alto índice de criminalidade, corrupção, pobreza, etc. Concorrendo com grandes cidades de três potências (Espanha, Japão e Estados Unidos). Na mídia especializada, Rio e Chicago polarizam a disputa. Mais uma vez o Rio é o patinho feio. Chicago é a cidade onde o Presidente Barack Obama fez sua carreira politica e onde conheceu sua esposa Michelle. É a casa do homem do momento no mundo.

Seria o palco perfeito para o Rio vencer e mais uma vez a metáfora do escritor dinamarquês se tornar realidade na vida real. Mas amigos, se o Rio se tornar sede dos Jogos 2016 esse conto não será de fadas e sim do vigário.

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

PASSANDO A BOLA - MESA REDONDA

Amigos do Passando a Bola, está no ar mais uma Mesa Redonda, seu encontro com a informação e a opinião. Neste programa falaremos bastante da 26ª rodada do Brasileirão, vamos fazer uma análise da segunda rodada da Liga dos Campeões, que começa nesta terça, escolheremos o gol mais bonito, o craque do final de semana e daremos, é claro, nosso toque final. Além do troféu Hélio dos Anjos. Aproveitem!


Neste primeiro bloco, os destaques da 26ª rodada do Brasileirão:




Neste segundo bloco, uma análise sobre a segunda rodada da Liga dos Campeões da UEFA:



Neste último bloco, vamos escolher o gol mais bonito, o craque da rodada e dar nosso toque final, além do troféu Hélio dos Anjos:

domingo, 27 de setembro de 2009

O que tirar da 26ª rodada?

A rodada deste fim de semana, como todas as outras até agora, serviu para mudar coisas na tabela e provar que nada no atual Campeonato Brasileiro é definitivo. Talvez só o Palmeiras tenha mantido uma certa lógica na sua campanha e agora mantém a ponta com bons cinco pontos de vantagem.

Mas mesmo o Verdão terá uma dura missão até a última rodada e já mostrou que não está lidando muito bem contra times motivados, ou seja, todos a partir de agora. Venceu o Atlético-PR, mas a defesa teve que suar para parar a enchurrada de chutes a gol.

Ainda é cedo para afirmar, mas o Goiás e Atlético-MG parecem tomar o lugar de São Paulo e Internacional como concorrentes do atual líder pelo título. Muitos vão dizer que no caso do time goiano falta camisa, mas já faz tempo que estão provando que podem fazer muito mais do que esperam dele. Que o digam Léo Lima, Iarley e cia.

O Galo também já foi muito criticado pela incostância, mas também vem mostrando uma evolução bastante interessante e um time que toca muito bem a bola e conta com um atacante inspirado. A chegada do Ricardinho pode dar ainda mais toque de bola à equipe.

O Inter não deu para medir na rodada, jogou Polo Aquático contra o Fla, mas o time parece em decadencia em relação aos concorrentes. Do 6º ao 13º lugar, a zona da pasmaceira, quem ganha espaço é o Grêmio, que ainda não vence fora o que complica bastante, e o Flamengo, que parece se ajeitar mas te uma missão muito complicada daqui pela frente e sem o Imperador em alguns jogos.

Com a vitória do Coxa, cinco times se juntam e parecem que lutarão pela única vaga que resta para eles no Brasileirão do ano que vem. O Bota, que muitos consideram não ter time para estar aonde estar, já extrapolou o limite de chances desperdiçadas, mais de dez. E para complicar, Flu e Sport resolveram vencer e embolar ainda mais a briga.

Fluminense, esse será um capítulo interessante de acompanhar nas próximas rodadas. Se perdesse, passava a ter 98% de chances de cair. Mas venceu e agora está "apenas" cinco pontos para sair da zona. A missão ainda é iglória, mas se acende uma luz no fim do túnel. Uma vitória contra o Maior rival na próxima ropdada pode dar novos rumos ao time das Laranjeiras.

Campeonato estranho esse!

O preço da vitória para quem quer ser campeão

É comum no futebol moderno, quando duas equipes entram em acordo sobre o empréstimo de um determinado jogador, estabelecer cláusulas no contrato para que ambas (especialmente a que cede o atleta) não tenha um prejuízo técnico no momento em que essas equipes se enfrentarem. Assim, geralmente o jogador em questão fica proibido de atuar contra seu time de origem ou então, para que isto que aconteça, uma multa generosa é estipulada. O clube contratante, na maioria das vezes, para não pagá-la, não escala o atleta.


Bom, depois dessa explicação toda, vamos aos fatos. Isto que escrevi no primeiro parágrafo aconteceu na partida entre Palmeiras e Atlético-PR ontem. O zagueiro Danilo, titular da zaga alviverde, pertence ao Furacão e está emprestado a equipe paulista até o fim do ano. No contrato, ficou acordada uma multa de R$100 mil caso Muricy Ramalho quisesse escalá-lo. Pois bem, o treinador poderia pensar que Danilo era apenas um zagueiro e como tal não seria tão fundamental para conseguir a vitória. Afinal o Atlético tinha o segundo pior ataque do campeonato e R$100 mil reais por um jogo é muita grana.

Mas não. Como técnico experiente e vencedor que é, conhecedor profundo do que deve ser feito para conquistar o Brasileirão, Muricy fez questão de contar com seu titular em campo e não comprometer seu sistema defensivo. E mais uma vez deu o tiro certeiro. Danilo não só jogou bem impedindo os ataques rubro-negros (tirou em cima da linha um gol que parecia certo) como foi lá na frente e marcou o gol da vitória por 2 a 1.

É por essas e por outras que o Palmeiras se isolou ainda mais na liderança do Brasileiro com 50 pontos, seis a mais do que o vice-líder São Paulo e sete a frente do terceiro colocado, Internacional, ambos com um jogo a menos. Porém, essas duas equipes têm compromissos complicados esta tarde. O Tricolor faz o clássico contra o Corinthians, de quem ainda não venceu este ano, e o Colorado recebe no Beira-Rio um embalado Flamengo. Não são jogos fáceis e o time de Muricy pode terminar o final de semana ainda mais perto do pentacampeonato. São 12 rodadas na liderança.

Já o Furacão até merecia sorte melhor. Jogou bem, teve várias chances de empatar, mas esbarrou em grande atuação de Marcos e, como escrevi, nos pés de Danilo, que tirou gol certo na linha do gol. Com isso, o Atlético-PR segue na parte de baixo da tabela, com 31 pontos, ainda ameaçado pelo rebaixamento.

- Além do Palmeiras, quem se deu bem ontem foi o Cruzeiro, que venceu o Barueri por 1 a 0, fora de casa. Por ironia do destino, o time mineiro, que tanto reclamou no meio de semana da arbitragem de Evandro Roman na derrota para o Palmeiras, marcou seu gol (de Gilberto) em impedimento. Portanto fica a prova de que os erros dos juízes se dão por incompetência e não má-fé. Todos os clubes já foram "roubados" e "ajudados" no campeonato. A equipe de Adilson Batista (terceira melhor visitante do campeonato com 5 vitórias, 3 empates e 5 derrotas ou 46%) voltou a brigar por vaga na Libertadores, com 35 pontos. É muito difícil pois o Cruzeiro terá que conseguir uma arrancada sensacional, mas na frieza dos números e na qualidade do seu elenco dá para acreditar.

O Barueri não vive um bom momento. Venceu apenas uma nos últimos seis jogos, mas a boa campanha do primeiro turno faz com que o caçula da Série A não corra riscos de rebaixamento. Vai ficar por ali, no meio da tabela.

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

ÚLTIMAS VAGAS NO VESTIBULAR DO PROFESSOR DUNGA

Olá blogueiros. Última convocação para jogos oficiais antes da Copa-2010. O técnico Dunga convocou ontem 24 jogadores para as duas últimas partidas (Bolívia e Venezuela) das Eliminatórias Sul-americanas. Com a classificação garantida, o Capitão do Tetra, chamou um grupo maior e deve poupar algumas estrelas da viagem para La Paz, na Bolívia. Provavelmente a Seleção vai subir o morro com uma equipe reserva e vai deixar os medalhões treinando na Granja Comary.

Dunga chamou alguns jogadores para observação. Casos do zagueiro Naldo (Werder Bremen), do meia Alex (Spartak de Moscou), Diego Souza (Palmeiras) e do atacante Diego Tardelli (Atlético-MG).

Questionamentos do momento:

Naldo; Algumas coisas ficaram claras com a convocação do zagueiro do Werder Bremen. Alex, do Chelsea, é carta fora do baralho do comandante brasileiro. Como venho afirmando durante o ano, o defensor ficou muito queimado com a comissão técnica depois de várias dispensas nas últimas convocações. Outro jogador também perdeu espaço. Thiago Silva, apontado por todos como um dos favoritos na defesa canarinho, mesmo jogando regularmente na equipe do Milan ficou de fora dessa convocação. Convocação essa que parece determinante para a definição das últimas vagas.

Alex e Diego Souza; A convocação dos meias deixa claro que o Dunga entendeu que precisa de um reserva mais técnico para Kaká. Podemos perceber que Júlio Baptista não foi chamado para esses jogos. Gostei muito dessa atitude. A seleção precisa de um jogador técnico e habilidoso para entrar durante os jogos. Alex e Diego Souza são jogadores que batem bem na bola, têm um ótimo passe e muita personalidade. O elenco brasileiro ganha muito com um dos dois ou os dois no grupo da Copa. E o Júlio Baptista? Vai perder a vaga na hora do filé? Ou vai pegar uma vaguinha como volante? Vamos aguardar.

Até hoje, o treinador usou 61 jogadores diferentes desde que assumiu a seleção em 2006. Robinho, fora da lista atual por estar machucado, é quem mais atuou, com 46 partidas. Gilberto Silva (43), Maicon (39) e Elano (36) aparecem em seguida. Titular do meio-campo, Felipe Melo recebeu cartão vermelho na última rodada contra o Chile e também não foi chamado agora. Depois de enfrentar Bolívia e Venezuela, o Brasil deverá fazer só mais três amistosos antes da convocação para a Copa. O primeiro já está marcado: contra a Inglaterra, dia 14 de novembro, no Qatar. Depois, há datas para jogos em 18 de novembro e março de 2010, sem adversários definidos ainda.

Vejam os 24 convocados e as novidades da convocação:




FONTE:GLOBOESPORTE.COM

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Vitória de líder

Confesso que subestimei o Palmeiras. Apesar do time de Muricy Ramalho ter entrado em campo no Mineirão ontem com 11 rodadas de liderança no cartel, acreditava que o Cruzeiro era favorito e que o time paulista poderia conseguir, no máximo (quanta pretensão!), um empate. Ledo engano. Diferentemente do Palmeiras que foi presa fácil para o Vitória na rodada anterior, desta vez o Alviverde jogou como verdadeiro líder e, mesmo sofrendo muita pressão e tendo que se segurar com um jogador a menos, venceu por 2 a 1, de virada, e se isolou na ponta do Brasileirão. A equipe tem 47 pontos e abriu três para o segundo colocado, São Paulo. É, depois dessa prometo não desrespeitar quem ocupa o primeiro lugar no campeonato. Se tivesse apostado dinheiro, provavelmente hoje estaria mais pobre e com uma "bela" ressaca.

Mas vamos ao que interessa. Foi um jogo bom de se ver, assim como era esperado. O Cruzeiro, por jogar em casa, tomou a iniciativa da partida desde o início e abriu o placar com Thiago Ribeiro logo aos 7 minutos. Porém, a alegria mineira não durou nem 2 minutos. Falta um pouco antes da meia-lua. Diego Souza toma pouca distância. Corre pra bola meio esquisito. Acerta um chute com uma curva impressionante e engana o goleiro Fábio: 1 a 1.

Depois disso a tônica do jogo não mudou muito. O Cruzeiro com mais posse, buscando mais o gol e o Palmeiras esperando um erro adversário para tentar encaixar o contra-ataque. Na primeira etapa não aconteceu nem uma, nem outra. E os times desceram para o vestiário na igualdade. Após o intervalo, no entanto, a estratégia alviverde deu certo e num erro de passe do time celeste, Cleiton Xavier deu sua 14ª assistência no campeonato (líder absoluto) para Vágner Love, em velocidade, driblar Fábio e virar o placar.

Perdendo, o Cruzeiro foi mais ainda para o ataque, com Guerrón entrando na vaga de Elicarlos. O equatoriano atuou quase como um ponta direito e criou boas jogadas por aquele lado. E a tarefa da equipe de Adilson Batista pareceu que ficaria facilitada quando Armero derrubou Jonathan e, como já tinha amarelo, foi expulso. Os mineiros foram pra cima, perderam várias chances e abusaram das bolas levantadas na área, a maioria delas sem efeito algum. Nada deu resultado e o Palmeiras saiu vencedor. Com justiça, diga-se. Apesar de achar que o árbitro Evandro Rogério Roman deixou de marcar penalti claro em Fabrício, ainda no primeiro tempo, a derrota foi mais por incompetência cruzeirense do que por erros da arbitragem.

Além da liderança, o Palmeiras acabou com um pequeno jejum de 4 jogos sem vencer fora de casa. O time tem a segunda melhor campanha como visitante (5 vitórias, 4 empates e 4 derrotas), só atrás do Goiás. Já o Cruzeiro, com o resultado negativo, dá adeus a briga por vaga na Libertadores do ano que vem. São 10 pontos para o quarto colocado, faltando 13 jogos. Só uma arrancada espetacular e um milagre para isso acontecer.

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

DORMINDO LA SESTA

Parecia ser a chance ideal do Boca conseguir uma reação no Apertura. Bombonera cheia, adversário de menor tradição, Riquelme em campo e um torcedor ilustre. O campeão Juan Martín del Potro desfilou pela cancha, envergando sua camisa azul y oro. Mas a alegria durou só antes da bola rolar. Porque quando rolou...

O Boca Juniors mostrou que não é mais o mesmo. Saiu Ischia, chegou Alfio Basile e o Boca não se reencontra. Saiu perdendo para o Godoy Cruz. Aí virou o jogo. Parecia que os três pontos seriam certos. Mas por mais incrível que possa parecer, o time de Mendoza virou de novo o placar. Final: Godoy Cruz 3 a 2. Incrível.

O xeneize continua mal no campeonato. Já foi eliminado da Copa Sul-Americana e a pressão sobre Basile é enorme. Antes da partida, o treinador disse que se perdesse deixaria o cargo. Não foi o que aconteceu. O próprio Carlos Bianchi, manager do Boca, tratou de demover Coco Basile dessa ideia. Mas até quando?

Na entrevista coletiva dada na última terça-feira, o Virrey falou em metáforas, como sempre. "O treinador está durmindo a sesta", disse Bianchi. Ou seja, está tranquilo, mas pode ser obrigado a despertar de repente e sair dos seus sonhos para cair na realidade.

As pessoas tem falado muito em trauma por eliminação da Libertadores. O São Paulo teria passado por isso, o Fluminense está passando e o Cruzeiro também. O Boca, creio eu, integra a lista. Afinal ninguém esperava que a equipe fosse eliminada nas oitavas de final para o Defensor, do Uruguai, dentro da Bombonera. Realmente um trauma.

Fecha 5

O Estudiantes se juntou ao Rosario Central na ponta do campeonato. O Pincha não tomou conhecimento do Huracán e, fora de casa, atropelou por 4 a 1. Já o conjunto rosarino perdeu a liderança isolada ao empatar, em casa, com o Banfield, em 0 a 0. Estaria o Canalla perdendo o fôlego? Ainda é cedo para dizer. Já o Taladro ocupa uma surpreendente quarta colocação. O atual campeão, o Vélez Sarsfield, está bem no páreo. Vem em terceiro. Empatou com o Independiente, no campo do Huracán, por 2 a 2. O Newell's também faz boa campanha, em quinto, e derrotou fora de casa o Lanús por 2 a 0. O River Plate, assim como o Boca, entretanto, vem muito mal. Dessa vez perdeu para o Arsenal, em Sarandí, por 1 a 0. Demais jogos: Colón 3 x 1 Chacarita, Gimnasia 2 x 0 Tigre, Argentinos 2 x 1 Atlético Tucumán, San Lorenzo 0 x 0 Racing.

Classificação: Estudiantes 13, Rosario Central 13, Vélez 11, Banfield 11, Newell's 10, Argentinos 9, Colón 8, Godoy Cruz 8, Independiente 7, San Lorenzo 7, Arsenal 7, Atlético Tucumán 6, Boca 5, Racing 4, River 4, Lanús 4, Gimnasia 4, Tigre 3, Huracán 1, Chacarita 0

Por Raphael Martins

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

PASSANDO A BOLA - MESA REDONDA

Amigos do Passando a Bola, está no ar mais uma Mesa Redonda, seu encontro com a informação e a opinião. Neste programa falaremos bastante da 25ª rodada do Brasileirão, vamos fazer uma análise do atual momento da Série A , escolheremos o gol mais bonito, o craque do final de semana e daremos, é claro, nosso toque final. Além da estreia do troféu Hélio dos Anjos. Aproveitem!


Neste primeiro bloco, os destaques da 24ª rodada do Brasileirão:



Neste segundo bloco, uma análise sobre o atual momento da Série A. Oito pontos dividem os doze primeiros:



Neste último bloco, vamos escolher o gol mais bonito, o craque da rodada e dar nosso toque final, além da estreia do troféu Hélio dos Anjos:

Rapidinhas de Domingo - Goiás volta ao G-4

A grande atração neste domingo no Pacaembu era a volta de Ronaldo aos gramados depois de 56 dias. Mas o Goiás tratou de roubar o papel de protagonista do Fenômeno e conseguiu uma elástica e convincente vitória por 4 a 1. A dupla Iarley/Fernandão, que fez história no Inter Campeão Mundial em 2006, foi o grande destaque. O primeiro marcou duas vezes e chegou aos 10 gols no Brasileirão. Já o segundo fez seu primeiro gol neste retorno ao Esmeraldino. Com o resultado, a equipe de Helio dos Anjos não só interrompeu um jejum que já durava três jogos, como também voltou ao G-4, com 42 pontos, mais do que nunca na briga pelo inédito título nacional. Na próxima rodada, o desafio é contra um concorrente direto na parte de cima da tabela: o Grêmio, no Serra Dourada. Menos mal que o Tricolor venceu apenas uma vez longe do Olímpico, mas de qualquer maneira a partida tem tudo para ser muito disputada.

O Corinthians, por sua vez, sofreu com a falta de criatividade do seu meio-campo e com as falhas da zaga. Ronaldo foi peça nula. O Timão vinha de 6 jogos sem perder (3 vitórias e 3 empates), mas com a derrota desceu três posições na classificação - é o 9º, com 37 pontos. Como dificilmente a equipe de Mano Menezes brigará pelo título, os objetivos corintianos no Brasileirão são cada vez menores. O próximo jogo é diante do São Paulo, clássico no Morumbi.

- O São Paulo perdeu a chance de dormir na liderança ao empatar com o frágil Santo André em 1 a 1, no estádio Santa Cruz, em Riberão Preto. Mesmo assim, o tricampeão chegou aos 44 pontos e empatou com o Palmeiras, primeiro colocado. O time de Ricardo Gomes, porém, perde no saldo de gols (14 a 10). Jean abriu o placar logo aos 7 minutos e a torcida são-paulina teve a impressão de que seria uma goleada. Mas, aos poucos, o Santo André equilibrou as ações, empatou o jogo na segunda etapa e poderia ter até ganho, que não seria absurdo algum. Foi o quarto jogo invicto do Tricolor, seríssimo candidato ao caneco.

O time do ABC está fazendo o que pode para escapar do rebaixamento. Depois de 3 derrotas consecutivas, o Santo André voltou a marcar um pontinho, que, no entanto, não foi suficiente para tirar o clube do grupo dos quatro últimos. A equipe de Sérgio Soares é a 17ª, com 25 pontos.

- Na partida entre as grandes surpresas do campeonato, o Avaí voltou a mostrar um bom futebol e não deu chances ao Barueri ao vencer por 4 a 0, na Ressacada. William, Eltinho, Muriqui e Léo Gago, sendo este último um golaço, marcaram para os catarinenses, que conseguiram um triunfo depois de 3 derrotas consecutivas. O resultado deixa o time de Silas na 7ª colocação, com 37 pontos, e a vaga na Sul-Americana é uma realidade cada vez mais próxima. O Barueri está mais ou menos na mesma situação do Avaí. Ambos entraram no Brasileirão pensando em permanecer na Série A e estão agora com boas chances de jogar a Sul-Americana em 2010. O Abelha, que em breve deve ter Fernandinho de volta, tem 36 pontos, na 11ª posição.

- Na Vila Belmiro, Santos e Botafogo fizeram um jogo de péssima qualidade e o zero no placar foi justo. O time carioca completou 10 jogos sem vitória no Brasileirão e 13 empates em 25 partidas, recorde do campeonato. Por não conseguir ganhar, o Bota permanece na zona de rebaixamento há 6 rodadas. E está dando bobeira, porque seus adversários diretos também não estão pontuando. Era a chance para se livrar de vez do descenso. O Santos, por sua vez, desperdiçou oportunidade de encostar ainda mais no G-4. A irregularidade é a marca da equipe de Luxemburgo e o destino é ficar ali pelo meio da tabela.

- Dando uma rápida passada pelos jogos de sábado. O Inter, assim como o São Paulo, perdeu a chance de roubar a liderança do Palmeiras ao cair diante do Vitória, no Barradão. O Rubro-Negro baiano, aliás, derrotou em seus domínios os dois líderes com autoridade e mostrou porque é a terceira melhor campanha como mandante (9 vitórias, 3 empates e 1 derrota ou 76,9% de aproveitamento dos pontos). O Colorado sofreu o segundo revés consecutivo e vai precisar mais do que nunca de vencer o Flamengo, no Beira-Rio, para mostrar que está vivo na briga pelo título. No duelo dos desesperados, o Atlético-PR jogou mal, mas fez o dever de casa e passou pelo Sport por 1 a 0. O resultado fez o Furacão abrir 6 pontos de vantagem em relação ao Santo André, primeiro da zona de rebaixamento. O Leão da Ilha, vice-lanterna com 20 pontos, deve fazer o mesmo que o Fluminense: pensar já em 2010, pois para essas equipes o Brasileirão praticamente terminou. Só um milagre dos grandes salva ambos da degola. Para completar, Náutico e Atlético-MG empataram em 0 a 0 nos Aflitos e o Timbu permanece fora do grupo dos quatro últimos. Mas a situação ainda é complicada. O Galo deixou novamente o G-4.

- Quem comemorou mais neste final de semana, mesmo sem entrar em campo, foi o Palmeiras. O Alviverde viu seus maiores concorrentes perderem pontos e manteve a ponta da tabela. Quarta-feira faz belíssimo jogo contra o Cruzeiro, no Mineirão, e um triunfo deixa a equipe de Muricy isolada em primeiro. Mas os mineiros ainda almejam objetivos no Brasileiro.

Fla sobe, Flu desce

Flamengo e Fluminense, eternos rivais, cuja origem futebolística tem ligações estreitas, vivem momentos opostos no Campeonato Brasileiro. E isto foi exemplificado na rodada deste final de semnana, a 25ª. Enquanto o Rubro-Negro se impôs e venceu o Coritiba por 3 a 0, jogando bem, o Tricolor foi goleado impiedosamente pelo Grêmio por 5 a 1, jogando muito mal. O Fla subiu na tabela e sonha com a Libertadores; o Flu só não desceu mais porque não dá, chegou definitivamente ao fundo do poço e o fantasma do rebaixamento já paira soberano pelas Laranjeiras. Mas vamos por partes.


Pet + Adriano = certeza de show
No Maracanã, o Flamengo mais uma vez jogou muita bola e derrotou o Coritiba por 3 a 0, com direito a show de Adriano e Pet. O primeiro marcou um golaço, um dos mais bonitos do campeonato (com participação mais do que especial do gringo, diga-se de passagem) e chegou aos 13 gols no Brasileirão, artilheiro ao lado de Jonas. O segundo conseguiu ser ainda melhor. Como está jogando Petkovic! Além de ter marcado um lindo gol de falta, deixou o Imperador de frente para o goleiro e ainda participou da jogada do terceiro, que culminou com um petardo no ângulo de Willians. Isto sem contar nos inúmeros passes e lançamentos milimétricos que o sérvio anda distribuindo. Impressionante a forma dele, pois não podemos esquecer que trata-se de um jogador de 37 anos, que atua sozinho na armação das jogadas do Flamengo no meio-campo. É por isso que Pet é um ídolo da torcida. Neste domingo isso ficou ainda mais claro, com os rubro-negros reverenciando o camisa 43 do início ao fim do jogo. Está dando gosto ver essa dupla aí da foto em campo.

Com a vitória, o time da Gávea subiu três posições e está em oitavo, com 37 pontos, melhor colocação do clube desde a 18ª rodada, quando também terminou no oitavo lugar. A diferença para o G4 é de 5 pontos e a vaga na Libertadores está mais real do que nunca. Porém, o time precisa manter esse ritmo. E a sequência de jogos não é nada fácil. Inter fora, clássico contra um desesperado Fluminense, Vitória fora, São Paulo em casa e Palmeiras fora. A vantagem é que são partidas diante de adversários diretos no topo da tabela e bons resultados terão ainda mais valor na classificação. Se Pet e Adriano continuarem nessa toada, vai ficar complicado de segurar.

Vale também um elogio ao sistema defensivo do Flamengo, que melhorou bastante desde a entrada de Álvaro e Maldonado no time e a mudança de esquema para o 4-4-2. Nos últimos quatro jogos - coincidentemente desde a estreia da dupla -, a equipe não foi vazada. Méritos também para Andrade, que soube aplicar modificações táticas, fazendo com que Léo Moura e Éverton tenham obrigação de marcar e colocando dois volantes a frente da zaga.

O Coritiba não jogou mal, teve até chances de marcar, especialmente no primeiro tempo, mas completou três partidas sem vitória. O Coxa é o 15º, com 27 pontos, ainda ameaçado de rebaixamento e só não entrou na zona da degola até agora porque seus adversários diretos nessa briga são muito incompetentes e não conseguem ganhar. Nessa rodada, por exemplo, nenhum dos seis últimos colocados venceu. Por essas e por outras que não acredito que a equipe paranaense vá para a Série B.

Grêmio "tritura" Flu com ajuda da zaga carioca


A tarefa do Fluminense era das mais ingratas. Afinal, derrotar o Grêmio no Olímpico já pode ser considerado algo quase impossível. E o próprio time carioca tratou de colaborar com o rival gaúcho, com direito a dois gols contra (um deles bizarro) e um penalti infantil, para que o placar final marcasse 5 a 1 para os donos da casa. E o desastre poderia ter sido maior para o Flu, não fosse o goleiro Rafael. Com o resultado, a equipe de Paulo Autuori está na 6ª posição, com 39 pontos. O Tricolor do Rio segue isolado na lanterna, cada vez mais perto da Série B, com 18 pontos.

A goleada foi incontestável. Com 23 minutos de jogo, o placar já marcava 3 a 0, gols de Adeílson (contra), Tcheco e Souza. Na segunda etapa, Kieza diminuiu, mas Cássio (também contra, de forma rídicula) e Jonas fecharam o caixão. O atacante gremista, aliás, chegou aos 13 no campeonato, dividindo a artilharia com Adriano. O domínio que o Grêmio exerce no Olímpico é realmente impressionante. A invencibilidade no estádio passa de um ano (a última derrota foi em 13/09/2008, diante do Goiás) ou mais precisamente 33 jogos (25 vitórias e 8 empates). O aproveitamento neste Brasileirão, então, é sensacional. Em 13 jogos em casa, o Tricolor gaúcho venceu 10 e empatou 3, o que dá 84,6% dos pontos conquistados. Disparado o melhor mandante. Para confirmar o ótimo momento, foi a quinta partida seguida sem perder e a distância para o líder Palmeiras é de 5 pontos. Com o elenco que tem, se emplacar fora de casa, o Grêmio tem tudo para brigar cabeça a cabeça pelo título brasileiro. Na próxima rodada tem um bom teste: o Goiás, no Serra Dourada, concorrente direto por vaga na Libertadores. Promessa de jogão!

Já o Flu agoniza na lanterna, cada vez mais próximo do rebaixamento. Contando os dois Fla-Flus pela Sul-Americana, são 10 jogos sem vencer. Aliás, a equipe conseguiu apenas 3 vitórias em 25 jogos no Brasileirão. Tem o pior ataque (23 gols) e a terceira pior defesa ao lado do Botafogo (41 gols sofridos). O site Infobola dá 96% de chances do clube carioca cair. Eu digo 100%. No desembarque no Rio de Janeiro, alguns torcedores ameaçaram os jogadores. A semana promete ser quente nas Laranjeiras.

sexta-feira, 18 de setembro de 2009

DORIVAL: "A FORMA COMO O VASCO SUPERA OS DESFALQUES ME SURPREENDE"


PASSANDO A BOLA: Do planejamento que você fez no início do ano, o trabalho está na média que você pensou ou está acima?

DORIVAL JR. : Eu acho que a gente tem que ser realista. Esperávamos que o time tivesse algumas dificuldades. Em um momento o time até superou a expectativa, mas até agora não conquistamos nada. Precisamos nos classificar para o planejamento ser confirmado.

PB: Na sua opinião, o que foi determinante para o trabalho chegar nesse ponto?

DJ: O apoio do torcedor, a diretoria que está dando todo respaldo à equipe. Os jogadores, que entenderam a responsabilidade. Esse conjunto de fatores resultou nisso.

PB: Depois da chegada do Fumagalli, você fechou o seu grupo de trabalho ou ainda pode chegar alguém?

DJ: Não está fechado não. Contratações estão sempre em aberto. Pintando um grande nome vamos tentar de tudo para fazer a contratação.

PB: Dorival, eu li na imprensa que você teria estipulado uma seqüência de cinco vitórias para o time garantir classificação para a Série A (com 64 pontos). Dos próximos cinco jogos, três são em casa. Você trabalha com essa mini-meta?

DJ: Não fui eu que falei isso não. Eu só falei que 64 pontos é o número para garantir a vaga. Isso é mentira! Nunca fico pensando em jogos na frente, penso sempre no próximo jogo. E o próximo jogo é contra o Guarani.

PB: Você espera um Guarani abusado no Maracanã ou comedido, jogando no erro do Vasco?

DJ: O Guarani é uma equipe que joga para frente. A característica vai ser diferente do jogo contra o Ceará.

Pergunta do torcedor:
Ricardo Oliveira: Você sente uma identificação especial com o clube? E você pretende ficar para a temporada 2010?

DJ: Eu quero ficar, mas vou esperar o fim do campeonato para resolver. Aconteceu uma química entre as partes, mesmo com pouco tempo de trabalho. O futebol precisa ter mais trabalhos longos, para criar uma estrutura de trabalho, uma relação mais profunda com a diretoria e com a torcida. Espero que o Vasco chegue à Série A fortalecido.

Rafael Aguilar: Você pretende contar com essa garotada do Vasco na próxima temporada ou você acha que precisa dar mais experiência para esse time? E falando em garotada, o que você pode falar do Philippe Coutinho?

DJ: Quem vai me dar essa resposta é a seqüência e as atuações durante a competição. Eles estão tendo as oportunidades e vão ter que mostrar que não precisamos de mais experiência. Agora é sempre necessária a presença de mais jogadores experientes, até para os jovens crescerem. O Coutinho está crescendo. Está em um processo de maturação, é um garoto interessado e sempre quer melhorar. É um garoto que promete muito.

Diogo Paiva: Como você analisa o desempenho do time nas últimas partidas sem o Souza e o Alex Teixeira?

DJ: Correspondeu, principalmente em matéria de resultado. Agora o que eu fico impressionado é que uma equipe quando está sendo formada demora um pouco para absorver as mudanças, mas mesmo assim o time mantém o nível e até melhora. Isso me surpreendeu! Mesmo com vários desfalques a equipe sempre soube se ajustar e isso é muito bom.

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

Alívio alvinegro

Antes de mais nada, peço desculpas pelo atraso no post, mas mais uma vez só consegui tempo para postar agora. Então vamos ao que interessa:

Foi do jeito que todo botafoguense está acostumado. Mas foi e isso que importa. Mesmo sem realizar uma boa partida, mas mostrando muita garra e força de vontade, o Alvinegro derrotou o Atlético-PR por 3 a 2, no Engenhão, e se classificou para as oitavas de final da Copa Sul-Americana. A equipe enfrenta agora o Emelec, do Equador.

A vitória de ontem foi muito importante não só pela classificação, mas principalmente por quebrar alguns tabus que incomodavam. O Botafogo não vencia há 10 jogos, oito deles sob o comando de Estevam Soares, que finalmente conseguiu seu primeiro triunfo, desde que assumiu a equipe. O técnico, até então ameaçado, ganha um pouco mais de tranquilidade no emprego. Para completar, dá mais moral ao grupo no Campeonato Brasileiro, em 18º lugar com 24 pontos. O próximo compromisso é diante do Santos, na Vila Belmiro. Difícil, mas não impossível, já que o time paulista é irregular.

A classificação, porém, não pode mascarar os problemas da equipe. O primeiro ficou evidente nesta quarta. Castillo não pode ser titular no gol. O uruguaio falhou nos dois gols do Furacão e protagonizou outros lances dignos de circo. Quase entregou a passagem para a fase seguinte. O goleiro não passa confiança alguma aos seus companheiros e, especialmente, à torcida. Menos mal que Castillo só foi o titular porque Jefferson não estava inscrito na competição. O outro problema é a apatia de Alessandro, que parece sempre desligado do jogo. Os alvinegros já perderam a paciência há tempos e a efetivação de Thiaguinho na ala direita deve ser imediata.

No ataque, André Lima se faz notar mais pelos atos efusivos em campo (como o fato de ter se ajoelhado na entrada da área no penalti de Lucio Flavio; e se o camisa 10 erra a cobrança? Provavelmente ele não poderia aproveitar o rebote), do que pelos gols ou pela participação no jogo. E isso dificulta, tanto é que ontem foi preciso que jogadores com obrigações mais defensivas fossem a frente marcar os gols (Gabriel e Wellington).

Porém, temos pontos a destacar também. Além do esforço, Jonatas deu maior qualidade ao meio-campo e o time ficou mais leve apenas com Leandro Guerreiro de volante. A zaga, apesar de ter sido vazada, está mais segura. E Reinaldo voltou a jogar bem na frente. Ontem foi mais incisivo e até arrancada deu, lembrando os velhos tempos.

Enfim, o Botafogo não tem um ótimo time, mas com certeza não é equipe para ficar 10 jogos sem vencer e ocupar a 18ª colocação no Brasileiro. Talvez o jejum de vitórias tenha influenciado a confiança da equipe. Agora, mais leve, a tendência é melhorar.

Harlei salva o Goiás

No Serra Dourada, o Goiás sofreu para eliminar o Atlético-MG, que atuou com uma equipe praticamente reserva. Depois de empatar em 1 a 1 no Mineirão, o Esmeraldino precisava de um 0 a 0 ou apenas uma vitória simples para avançar. Mas correu riscos e quase foi eliminado. Junior abriu o placar para o Galo, mas Felipe, de penalti, empatou. Nos penaltis, brilhou a estrela do experiente goleiro Harlei, que defendeu duas cobranças e garantiu a vitória por 6 a 5. Na próxima fase, o time goiano encara o Cerro Porteño, do Paraguai.

A nota triste ficou para a lamentável declaração de Helio dos Anjos ao final do jogo, afirmando com todas as letras que não trabalha com homossexuais. Mostrou todo o seu preconceito. Uma pena.

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

EQUIPO CANALLA

Depois das fracassadas exibições da seleção, a bola voltou a rolar na Argentina. Neste último fim de semana foi disputada a quarta rodada do Torneio Apertura 2009. Rodada esta que serviu para reafirmar a liderança isolada do Rosário Central, a grande surpresa do campeonato. Único time com 100% de aproveitamento até aqui, o Canalla bateu o Chacarita Juniors por 1 a 0, no campo do Huracán. O Funebrero, ao contrário, segue como a pior campanha. Ainda não marcou pontos em seu retorno à elite, e já começa a comprometer a sua média de pontos para uma eventual permanência na Primeira Divisão.

Mas voltando ao Central, essa equipe que terminou em nono no Clausura, teve que disputar uma repescagem contra o Belgrano de Córdoba, e que faz uma campanha maravilhosa neste Apertura é a sensação do torneio. O time dirigido pelo técnico Cufaro Russo não joga o futebol vistoso que o Huracán apresentou no último campeonato, só para fazer uma comparação. Mas é uma equipe que adota um estilo eficiente, baseado nos contra-ataque, nas bolas paradas e no jogo aéreo. Não faz da pressa a sua característica, ao contrário, é um time paciente e que aguarda o erro adversário.

Assim foi na vitória sobre o Chacarita. Uma bola alçada na área, confusão, e o gol contra de Jorge Núñez que garantiram os três pontos aos rosarinos. Outro ponto a se destacar: A baixa média de idade deste time, que não ultrapassa os 20 anos. O ponto forte desse Rosário Central é que todos se matam em campo. Vamos ver se essa empolgação irá durar até o fim do certame.
Aliás, o Canalla vive uma situação insólita neste momento. É o líder do Apertura e se for campeão vai disputar a Libertadores de 2010, mas na média para o descenso, ocupa a 18ª posição, ou seja, teria que disputar a Promoción contra o terceiro colocado da Segunda Divisão para se manter na elite. Coisas do futebol argentino e de seu bizarro critério de médias de pontos.

Outros resultados: Racing 1 x 1 Gimnasia; Newell’s 0 x 1 Argentinos; Vélez 0 x 0 San Lorenzo; Tigre 1 x 2 Arsenal; Atlético Tucumán 2 x 0 Boca; Lanús 1 x 2 Banfield; River 0 x 0 Colón; Estudiantes 2 x 1 Independiente; Godoy Cruz 1 x 1 Huracán.
Classificação: Rosário Central 12; Estudiantes, Banfield e Vélez 10; Newell’s 7; Independiente, Argentinos e Atlético Tucumán 6; Colón, Godoy Cruz e Boca 5; Lanús, River e Arsenal 4; Racing e Tigre 3; Huracán e Gimnasia 1; Chacarita 0.
Descenso: 17º Racing 1,188; 18º Rosário Central 1,163; 19º Gimnasia 1,150; 20º Chacarita 0,000.

Ojo!!!!!

Se Boca e River continuarem com as pobres campanhas que estão fazendo, não estarão na próxima edição da Libertadores da América. O Boca tem que ser campeão se quiser ir para o torneio continental. Já o River tem uma tarefa “menos incômoda”, chegar pelo no mínimo em terceiro lugar. Mas com o futebol que estão apresentando vai ser complicado. Vélez e Estudiantes já estão garantidos como campeão do Clausura e da Libertadores-2009, respectivamente. Os outros representantes seriam o campeão do Apertura e os três clubes com maior média de pontos neste ano (por enquanto são Lanús, Colón e Huracán).

Fantástico Delpo

Não sou muito chegado ao tênis, mas neste momento de crise no futebol argentino a conquista de Juan Martín Del Potro em Nova York é um alento. Deveria servir como exemplo de superação aos jogadores da seleção e ao próprio Maradona. Se Delpo conseguiu derrotar o até então imbatível Federer, porque a Argentina não conseguiria a vaga direta no Mundial da África do Sul? Entonces, seguimos cantando... Vamos, vamos, Argentina... Vamos, vamos a ganar...

Maradona em Itália

Para encerrar. Maradona chegou nesta terça-feira à Itália. O Rei de Nápoles está na Velha Bota para passar por um tratamento de emagrecimento. Bilardo, um de seus auxiliares está preocupado. Quanto tempo vai durar este tratamento? E se isso atrapalhar o planejamento para os próximos e decisivos jogos da Argentina nas Eliminatórias? Assim como Bilardo, eu também estou preocupado.
Por Raphael Martins

PÉSSIMAS ALIANÇAS

Olá blogueiros. Na edição desta segunda-feira do Passando a Bola – Mesa Redonda, eu citei a candidatura de João Henrique Areias à presidência do Flamengo como uma luz no fim do túnel. Nesta terça-feira mais duas chapas foram oficializadas. A deputada Patrícia Amorim e o candidato da situação Delair Dumbrosck expuseram suas idéias e alianças.

Não vou perder tempo falando do Delair, até porque ele é o símbolo da continuidade do trabalho do Márcio Braga. Eu não sou daqueles que só enxerga coisas ruins nos dois últimos mandatos do Márcio. Mas também tenho certeza que é preciso mudar de filosofia. Quero na verdade comentar um pouco a candidatura da deputada Patrícia Amorim.

Patrícia foi nadadora do clube e participa da vida rubro-negra há 30 anos. Com um discurso de apoio aos esportes olímpicos e às divisões de base do clube, a candidata seria uma espécie de nome ideal para o pleito de dezembro. Mas não é o caso, amigos.

No lançamento da sua candidatura, na noite desta terça, em um restaurante da Zona Sul do Rio, Patrícia apresentou suas alianças. Foi o início do fim! Amigos, a deputada está sendo apoiada simplesmente por dois dos piores presidentes da história do Flamengo: George Helal e Luis Augusto Veloso. Como alguém pode pensar em reconstrução, novas idéias, novos procedimentos e estrutura de trabalho, com dois nomes que contribuíram com esse estado atual de pré-falência do clube. Vamos relembrar alguns fatos que ocorreram nos mandatos destes dois ex-presidentes:

George Helal (Mandatos : 1984 - 1985 -1986)

Fatos marcantes:
Chegou à presidência do Flamengo com a fama de ser um dirigente atuante e de ter praticamente garantido a permanência de Zico no clube, quando pagou de seu próprio bolso a alimentação e o transporte do menino que começava a despontar nas escolinhas. Apesar de ter conseguido conquistar o título do campeonato carioca de 1986, com um time recheado de garotos e novos valores, pôs tudo a perder após envolver o nome do Flamengo no escândalo das papeletas amarelas, que foi o desvio de dinheiro do clube, que foi usado para suborno a árbitros no estadual de 1986. Porém, nada foi provado e nem poderia ser, uma vez que Helal usou este álibi para esconder o real motivo do desvio de dinheiro do clube. Foi presidente de 1984 a 1986.

Luiz Augusto Veloso (Mandatos: 1993 – 1994)
Fatos marcantes:
Um dos integrantes da lista dos 5 piores presidentes do Flamengo. Na sua administração o Flamengo não conquistou nenhum título e contou com times bem fracos montados por ele. Além dos maus resultados dentro de campo, Veloso também acabou com uma geração inteira de novos talentos. Em 1990 o Flamengo havia conquistado a Copa São Paulo de Juniores com uma geração de ouro. Figuravam nomes como Marcelinho Carioca, Djalminha, Marquinhos e Paulo Nunes entre outros, que nos anos anteriores foram aproveitados no time principal e conquistaram o campeonato carioca de 1991 e o campeonato brasileiro de 1992. Porém, quando Veloso assumiu em 1993, resolveu seguir a filosofia de Gilberto Cardoso e, contrariando o slogan de Marcio Braga, vendeu toda a geração a preço de banana. Todos estes craques que foram vendidos se consagraram em outros clubes, os levando a títulos de grande importância e nunca conquistados em suas respectivas histórias, tais como o Corinthians bicampeão brasileiro 97/98 com Marcelinho arrebentando, vários títulos paulistas e campeão da Copa do Brasil de 1995.
Por enquanto, o Flamengo tem sete chapas pré-inscritas para as eleições de dezembro com os seguintes candidatos: Delair Dumbrosck, Patrícia Amorim, Plínio Serpa Pinto, Clóvis Sahione, Lysias Itapicuru, João Henrique Areias e Eider Dantas. Entretanto há um consenso de que haverá composição de chapas até o pleito.

Por isso falei que a chapa FLA21, encabeçada pelo publicitário João Henrique Areias, era um sopro de esperança para a nação Rubro-Negra. É a única chapa que apresenta nomes diferentes e novos na política do clube. Agora resta que os sócios do Flamengo façam sua parte e analisem com calma, cada um dos candidatos para não errar na hora do voto. Galera não dá mais para errar!

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

PASSANDO A BOLA - MESA REDONDA

Amigos do Passando a Bola, está no ar mais uma Mesa Redonda, seu encontro com a informação e a opinião. Neste programa falaremos bastante da 24ª rodada do Brasileirão, vamos fazer uma análise do momento da Seleção Brasileira, projetando os testes que o técnico Dunga poderá fazer nas duas últimas rodadas das Eliminatórias, escolheremos o gol mais bonito, o craque do final de semana e daremos, é claro, nosso toque final. Aproveitem!

Neste primeiro bloco, os destaques da 24ª rodada do Brasileirão:



Neste segundo bloco, uma análise sobre o grande momento da Seleção Brasileira:



Neste último bloco, vamos escolher o gol mais bonito, o craque da rodada e dar nosso toque final:

domingo, 13 de setembro de 2009

Rapidinhas de Domingo - Ufa! O Grêmio venceu fora

Demorou bastante, mais precisamente 12 jogos, mas finalmente o Grêmio conseguiu vencer longe do Olímpico. O Tricolor gaúcho foi até o estádio dos Aflitos e bateu o Náutico por 2 a 0, gols de Souza e Jonas, e subiu duas posições (é o 6º, com 36 pontos), pelo menos até quarta-feira, quando no complemento da 24ª rodada, o Corinthians encara o Coritiba.

Não foi uma exibição de gala gremista, mas o resultado foi justo. Desde o começo a equipe de Paulo Autuori mostrou sua superioridade técnica em relação ao Timbu e com 26 minutos já tinha feito dois gols. Primeiro com Souza, de cabeça, aproveitando cruzamento de Tcheco, e depois com Jonas, em um belo lance. Ele deu um chapéu no zagueiro Márcio, tirou de Asprilla e bateu de pé esquerdo. Foi o seu 12º gol no campeonato, igualando-se a Adriano na artilharia. O curioso é que Jonas, no começo do ano, após um jogo do Grêmio contra o Boyacá Chicó, pela Libertadores, foi chamado de pior atacante do mundo pela quantidade de gols que perdeu, um deles inacreditável. Está aí ele provando que tem muito valor e porque é o titular da posição.

Atrás no placar, o Náutico bem que tentou esboçar uma reação, mas a falta de qualidade somada a boa atuação de Victor impediram que o placar fosse modificado. Na segunda etapa, após a expulsão de Maxi López, o Grêmio também recuou e o resultado permaneceu o mesmo. A vitória, além de quebrar um tabu, anima o Tricolor na disputa por uma vaga na Libertadores, já que a distância para o G4 é de apenas 4 pontos e na próxima rodada o adversário é o lanterna Fluminense. Mas os gremistas precisam continuar vencendo fora de casa, senão vai ficar difícil.

O Timbu deu sorte na rodada. Isto porque, apesar da derrota, permanece fora da zona de rebaixamento, na 16ª posição, com 25 pontos. Seus adversários diretos não ganharam. Mas o resultado negativo quebrou uma sequência de 4 vitórias nos Aflitos. Na próxima rodada o time de Geninho, pior defesa com 44 gols sofridos, tem nova oportunidade de se distanciar da Série B, quando recebe o Atlético-MG. Mas não será nada fácil...

- Isto porque o Galo parece ter voltado a boa forma. Depois de ter sido chamado por mim de paraguaio, pela sequência de seis jogos sem vencer, o time de Celso Roth conquistou sua segunda vitória consecutiva e voltou ao G4 (4º lugar, com 40 pontos) depois de cinco rodadas. Apesar da distância de 4 pontos para o líder Palmeiras, não acredito que o Atlético-MG vá brigar pelo título, mas é um dos favoritos para estar na Libertadores-2010. E o elenco está bem melhor do que no início do campeonato. Chegaram bons jogadores como Renteria (que marcou o primeiro gol hoje), Correa, Coelho e agora Ricardinho. Somando-os aos outros bons jogadores que o Galo já tinha Roth tem em suas mãos uma equipe qualificada para permanecer na parte de cima da tabela. Diego Tardelli continua impossível. Mais uma vez jogou bem e marcou seu 11º gol no campeonato, muito bonito, por sinal. Já o Furacão segue flertando com a zona de rebaixamento, na 14ª posição, com 28 pontos. O time de Antônio Lopes tem o segundo pior ataque, com apenas 24 gols marcados.

- O pior ataque, não poderia deixar de ser, é do Fluminense, com 22 gols marcados. O clássico contra o Botafogo, no Engenhão, foi o retrato da situação dos dois times no Brasileirão. Patético, horroroso, de dar dó! Um 0 na 0 para desesperar ainda mais os torcedores de ambos os clubes e para comprovar que as duas equipes cariocas merecem estar na colocação que se encontram no momento. São os que menos venceram na competição (3 triunfos tricolores e 4 alvinegros). O Flu segue na lanterna, com 18 pontos, e segundo o site Infobola tem 95% de chances de cair. Conquistou a última de suas míseras três vitórias há sete rodadas. Está há 15 rodadas entre os 4 últimos. Para piorar, o próximo jogo é contra o Grêmio, melhor mandante, no Olímpico. Haja coração para torcida tricolor!

A situação dos botafoguenses é menos pior. O Alvinegro é o 18º, com 24 pontos, apenas um ponto atrás do Náutico, primeiro time fora da zona de rebaixamento. Mas o problema é que o Bota não consegue ganhar! Lá se vão nove rodadas desde o último triunfo da equipe (dia 01/08, 2 a 1 no Barueri). O aproveitamento de Estevam Soares a frente do time é péssimo. Contando a Sul-Americana, foram 8 jogos, com nenhuma vitória, 5 empates e 3 derrotas o que dá 20,8% dos pontos conquistados. Muito pouco e o treinador corre riscos. Na próxima rodada, o adversário é o Santos, na Vila Belmiro. Pedreira.

- Pedreira porque o Santos não jogou bem, mas derrotou o Santo André por 1 a 0, gol de Germano. O Alvinegro Praiano subiu para a 9ª posição, com 35 pontos, e voltou a sonhar com uma vaga na Libertadores. Já o Time do ABC segue firme rumo à Série B.

- O Goiás, que era a sensação do Brasileiro, desde que Fernandão entrou na equipe titular, caiu de produção e não vence há três jogos. A questão é: por mais que o jogador seja um ídolo do clube e a maior contratação da equipe no ano, Hélio dos Anjos fez a escolha certa em mudar o time que estava ganhando? Tirou Léo Lima, que vinha muito bem no meio-campo, e a equipe desandou. A derrota por 3 a 1 para o Barueri foi merecida, apesar dos goianos não terem jogado mal. O Esmeraldino deixou o G4 após nove rodadas. O título ficou distante. Já o Abelha, que muitos pensavam que iria cair de produção em função dos inúmeros problemas extra-campo, segue firme em sua campanha surpreendente. É o 8º, com 36 pontos.

O São Paulo agradece

Palmeiras e Inter, líder e vice-líder do Brasileirão, respectivamente, entraram em campo neste domingo no mesmo horário dispostos a ganhar para se livrar da ameaça tricolor, cada vez mais real. Mas não conseguiram e ambos, curiosamente, perderam pelo placar de 3 a 2. O Alviverde caiu diante do Vitória, no Barradão, e o Colorado sucumbiu ao Cruzeiro, no Beira-Rio. Assim, apesar de terem mantido as posições do início da rodada, a distância das duas equipes para o São Paulo diminuiu. O Inter tem o mesmo número de pontos (43), mas leva a melhor por ter mais vitórias (13 a 12). O Palmeiras segue na liderança com 44 pontos. E o Campeonato Brasileiro de 2009 vai se tornando o mais disputado da história dos pontos corridos.

Começando pela vitória do Cruzeiro sobre o Internacional, jogo que assisti. Aliás, belíssimo jogo. As duas equipes buscaram o ataque o tempo todo e o placar final poderia ter sido até maior. Mas o triunfo celeste foi merecido por ter tido a frieza para segurar a pressão dos donos da casa primeiro quando o Colorado saiu na frente e depois quando levou o empate e conseguiu fazer o terceiro gol na jogada seguinte. Destaque absoluto para Gilberto, que desfilou toda a sua categoria no pesado campo do Beira-Rio ao marcar dois gols e criar ótimas jogadas.

O Inter foi melhor no começo da partida. Tomou conta do meio-campo, criou oportunidades e chegou ao gol em penalti bem marcado de Leonardo Silva em Magrão. Alecsandro bateu bem e fez seu 11º gol no campeonato. O Cruzeiro, porém, não se abateu e chegou ao empate logo depois, também em cobrança de penalti, cometido por Guiñazu em Thiago Ribeiro. Gilberto deslocou Lauro e fez 1 a 1. Depois do intervalo, o Colorado voltou disposto a pressionar apoiado por sua torcida e Sandro, logo no primeiro minuto, desperdiçou chance clara, que Fábio defendeu.

Aí começou o show de Gilberto. O camisa 10 da equipe mineira tomou conta do jogo e aos 7 minutos virou o placar em uma bela cabeçada, no canto de Lauro. Tite, então, resolveu colocar a equipe para frente, lançando no jogo Edu e Andrezinho. E foi justamente Andrezinho que cobrou falta com perfeição da entrada da área e deixou tudo igual. A torcida do Inter comemorava, pois o empate e a derrota do Palmeiras na Bahia deixariam a equipe na liderança. A alegria, porém, durou pouco. Menos de um minuto. Na jogada seguinte, Gilberto se livrou da marcação no meio-campo, abriu o jogo para Patric, que chutou. Lauro fez boa defesa, mas Thiago Ribeiro completou no rebote. Com o 3 a 2, o Cruzeiro passou a segurar o resultado e o Internacional, na base dos cruzamentos, não ameaçou.

O Inter, que vinha de três vitórias seguidas, perdeu a chance de se isolar na ponta da tabela. Já o Cruzeiro chegou aos 32 pontos e, mesmo na 13ª colocação, viu renascer o sonho de disputar a Libertadores do ano que vem.

- No Barradão, o Palmeiras não conseguiu segurar o ímpeto do Vitória, terceiro melhor mandante do campeonato (8 vitórias, 3 empates e 1 derrota, atrás de Grêmio, São Paulo e do próprio Palmeiras). O time até que começou melhor, mas logo foi envolvido pela velocidade do time baiano, empurrado por sua torcida. E o resultado final foi justo. Uelliton - sem querer, após bobeada de Marcos -, Neto Berola e Derlei marcaram para o Rubro-Negro, com Robert descontando para a equipe paulista, duas vezes.

A campanha palmeirense fora de casa é regular, mas de uma maneira ruim. São 4 vitórias, 4 empates e 4 derrotas. Um time que quer ser campeão precisa melhorar esse desempenho. Já o Vitória tem campanha curiosa. Seus desempenhos dentro e fora de casa são inversamente proporcionais. Se no Barradão os números são ótimos (veja acima), longe de sua torcida são péssimos (1 vitória, 3 empates e 8 derrotas). Mesmo assim o time baiano chegou aos 33 pontos e está no meio tabela, posição na qual não deve sair até o final do campeonato.

A melhor exibição individual do Brasileirão-09

Vi vários jogos nestas 24 rodadas do Campeonato Brasileiro. Os que não vi, assisti aos melhores momentos e li as crônicas. Por isso posso afirmar, sem medo de errar, que a exibição de Adriano ontem, na vitória do Flamengo sobre o Sport por 3 a 0, foi a melhor individualmente deste campeonato. O Imperador fez de tudo. Além dos dois gols (sendo o primeiro um golaço!), que lhe deixaram na artilharia com 12 gols, ele quase marcou outros dois de placa, de voleio, deu passes açucarados, puxou contra-ataques, ajudou na marcação... Simplesmente incrível! Uma atuação digna de um Camisa 10 da Gávea. Se Dunga viu o jogo, com certeza deve ter ficado com um sorriso de orelha a orelha, pois todo mundo sabe que o técnico da Seleção é um admirador do futebol do atacante.

Parabéns e muito obrigado, Adriano. Deu gosto vê-lo jogar. Fazia tempo que não me sentia tão extasiado vendo uma partida de futebol.

Não posso também deixar passar uma menção mais do que honrosa a outro jogador que brilhou ontem: Petkovic. O gringo também "comeu" a bola dando duas assitências, além de ter dado vários outros passes para gol e criado inúmeras jogadas. Quase guardou o dele numa cobrança de falta que os rubro-negros lembraram do tricampeonato em cima do Vasco, em 2001. Com o perdão do clichê, Pet mostra a cada dia que a comparação com o vinho, no seu caso, é mais do que válida. Quanto mais velho, melhor.

No mais, todo o Flamengo jogou bem. Álvaro deu a segurança que a zaga necessitava e Angelim subiu de produção novamente. Maldonado fez o mesmo no meio-campo. Léo Moura voltou a ser um lateral, buscando a linha de fundo o tempo todo. Zé Roberto aos poucos vai mostrando seu futebol e até Denis Marques, que perdeu dois gols fáceis, movimentou-se bastante e saiu aplaudido. A continuar assim e o Rubro-Negro entra de vez na briga por uma vaga na Libertadores do ano que vem.

Já o Sport parece mesmo fadado ao rebaixamento. Não deu o melhor trabalho no Maracanã e só não voltou ao Recife com um monte de gols na bagagem porque o goleiro Magrão agarrou demais. Na penúltima posição, com 20 pontos, somente uma arrancada para entrar para a história do Campeonato Brasileiro nestas últimas 14 rodadas evita que o Leão da Ilha dispute a Série B em 2010.

- O São Paulo segue na cola dos líderes. Com o 2 a 0 diante do Avaí, o Tricolor chegou aos 43 pontos, mesma pontuação do vice-líder Inter (perde no número de vitórias, 13 a 12) e apenas um ponto atrás do Palmeiras, que jogam neste domingo. A arrancada são-paulina é impressionante! Após perder para o Atlético-MG, na 11ª rodada, o time de Ricardo Gomes era o 15º colocado. Desde então só faz subir. Nos últimos 13 jogos, venceu 10, empatou 2 e perdeu apenas um. Um aproveitamento de 82%! O destaque do jogo deste sábado foi Dagoberto, que fez o primeiro gol e deu passe preciso para Hugo marcar o segundo. Olho sempre aberto no São Paulo.

O Avaí, depois de ter ficado 11 jogos invicto, parece ter perdido o encanto. Sofreu sua terceira derrota consecutiva, curiosamente as três por 2 a o, e estacionou nos 34 pontos, na sétima posição. Neste domingo pode ser ultrapassado por três times. Uma pena, pois a equipe de Silas é boa de se ver jogar.

ARTILHEIRO PROVOCADOR

Olá blogueiros. O sábado no futebol europeu foi muito intenso. Foi tão movimentado, que eu fiquei grudado na telinha o dia inteiro. Acordei às 11h da manhã e fui recepcionado com Manchester City e Arsenal. Grande jogo! Era o primeiro encontro do togolês Adebayor com seu ex-time, o Arsenal. O africano saiu atirando contra os torcedores londrinos quando foi comprado pelos azuis de Manchester. Todos estavam ansiosos para ver esse embate. E valeu a pena toda essa expectativa.

O City goleou os Gunners por (4x2) e Adebayor marcou o seu, promovendo um dos momentos mais tensos da partida. Depois de concluir de cabeça e marcar o terceiro gol de sua equipe, o centroavante deu um pique de 80 metros, a la Bolt, e foi provocar a torcida do Arsenal, que estava do outro lado do campo. Além do africano, marcaram para o City Micah Richards, Bellamy e Wright-Phillips.
Grande vitória do Manchester City, que agora está na segunda colocação com 12 pontos e um jogo a menos que o líder Chelsea, que tem 15. O City está invicto e jogando um futebol para conquistar uma vaga no G-4 da Premiership e lógico brigar pelo título. A defesa da equipe é, sem dúvida, uma das melhores (Micah Richards e Lescott são da seleção inglesa) juntamente com a do Chelsea. No meio e no ataque o técnico Mark Hughes tem várias opções (Barry, Wright-Phillips, Tevez, Robinho) e lógico o africano Adebayor, que está brilhando intensamente na vice-artilharia com 4 gols (vale lembrar que o africano tem um jogo a menos que os primeiros da lista – Rooney e Defoe, com 5 gols).

Rodada deste sábado: Blackburn 3 x 0 Wolverhampton ,Liverpool 4 x 0 Burnley,Manchester City 4 x 2 Arsenal ,Portsmouth 2 x 3 Bolton ,Stoke 1 x 2 Chelsea ,Sunderland 4 x 1 Hull City ,Wigan 1 x 0 West Ham ,Tottenham 1 x 3 Manchester United ; Domingo: Birmingham x Aston Villa Fulham x Everton


Na sequência, ainda em êxtase com a grande partida que havia assistido, comecei a ver o terceiro jogo do Milan pelo Calcio. O Rubro-Negro italiano enfrentava o pequeno Livorno fora de casa. Leonardo entrou com Seedorf e Huntelaar na equipe titular e vários medalhões no banco (Pirlo, Zambrotta, Inzaghi e Dida) . Mas as mudanças não surtiram efeito e o que foi visto foram noventa minutos de futebol bem abaixo da crítica (0x0). Mais uma vez Ronaldinho Gaúcho teve uma atuação bem apagada. Pato e o holandês Huntelaar também não tiveram muitas chances de concluir. Com esse empate o Milan soma quatro pontos (na oitava posição) e um início muito preocupante para os tifozi da Lombardia. Se não abrirem os olhos, essa equipe será eliminada na primeira fase da Liga dos Campeões da UEFA. O Milan estreia na terça-feira contra o Olympique de Marselha, fora de casa, pela primeira rodada da fase grupos.

Rodada deste sábado: Livorno 0 x 0 Milan e Lazio 0 x 2 Juventus; Domingo : Atalanta x Sampdoria, Bologna x Chievo, Fiorentina x Cagliari, Inter de Milão x Parma, Palermo x Bari, Siena x Roma, Udinese x Catania e Genoa x Napoli


Para terminar a minha maratona futebolística, fui assistir Tottenham e Manchester United. Os londrinos são a grande sensação da Liga com uma campanha arrasadora e apresentando um futebol de velocidade e muita habilidade, sendo comandado pelos atacantes Defoe e Lennon. Mas as coisas não saíram como os Spurs pensavam. Logo no início do jogo Defoe acertou uma linda bicicleta e abriu o placar para o Tottenham. Com muita disciplina e superação o Manchester foi chegando e acabou virando a partida na casa do adversário. Com gols de Giggs, Anderson e Rooney, os Diabos Vermelhos fizeram (3x1) jogando um futebol de contra-ataques e com muita marcação no meio campo. Destaque para o brasileiro Anderson! O camisa 8 organizou o time vermelho e foi muito importante na partida. Principalmente depois da expulsão do volante Scholes. É amigos, teve isso, o Manchester virou com dez em campo! Importante vitória que coloca o United na terceira colocação e na briga pelo tetracampeonato.

sexta-feira, 11 de setembro de 2009

Dever de casa rumo à Série A

Mesmo com alguns importantes desfalques o Vasco fez o que dele se esperava e derrotou o fraco time do Paraná, em São Januário, por 2 a 1, em partida válida pela 23ª rodada do Brasileirão da Série B. Élton fez seu décimo primeiro gol no campeonato, vice-artilheiro, e Robinho, 46 dias depois, voltou a ser titular e também deixou o seu. Wellington Silva descontou para o Tricolor paranaense. Com a vitória, o Gigante da Colina se isolou na liderança da Segundonda, com 46 pontos, três a mais do que o Guarani, vice-líder. O Vasco também se beneficiou da derrota do Atlético-GO para a Ponte Preta por 3 a 1 (veja mais abaixo).

Na primeira etapa o Paraná foi mais perigoso e só não chegou ao gol porque Fernando Prass é um ótimo goleiro e porque a trave não colaborou com os paranistas. Como no futebol os clichês viram sempre realidade, quem não faz leva e foi exatamente isso que aconteceu. Um minuto depois de Marcio Goiano carimbar a trave de Prass, Ramon arrancou pela esquerda e foi derrubado na área. Penalti que Élton bateu bem para fazer 1 a 0.

Depois do intervalo o panorama não mudou e o Paraná igualou o placar logo aos 5 minutos, com Wellington Silva num gol bonito, mas meio esquisito. Acho que o Fernando Prass marcou uma certa bobeira, porém não chegou a ser uma falha. E parece que era isso que o Vasco tava precisando para acordar, porque depois de sofrer o gol o time melhorou. Philipe Coutinho entrou na partida e mostrou sua qualidade ao limpar um marcador e deixar Robinho livre para botar a equipe carioca de novo em vantagem.

Um pouco depois, no entanto, o menino mostrou imaturidade e mesmo com o cartão amarelo, parou contra-ataque do Paraná puxando o adversário. Resultado, foi expulso. Apesar de ter ficado com um jogador a menos, o Vasco não foi mais ameaçado e poderia ter até ampliado o marcador, não fosse o goleiro Zé Carlos.

O objetivo vascaíno está cada vez mais próximo. Matemáticos dizem que com 65 pontos se garante uma vaga na Série A, mas dando uma olhada nos anos anteriores, pode ser que com menos pontos já dê. A Série B passou a ser disputada por pontos corridos em 2006 e naquele ano o América-RN foi o último a subir , com 61 pontos. No ano seguinte, o Vitória somou 59 pontos e subiu como quarto colocado. Em 2008 o Barueri fez 63 e se garantiu na Primeira Divisão deste ano. Seja como for, a confirmação da volta à elite do Vasco é apenas questão de tempo e não há o menor risco de dar errado. O que é ótimo para o futebol brasileiro, pois o Cruzmaltino faz muito falta na Série A.

- O Atlético-GO perdeu o jogo para a Ponte Preta por 3 a 1, no Moisés Lucarelli, e também a chance de terminar a rodada na vice-liderança. Pior. O Dragão pode ser ultrapassado pelo Ceará neste sábado caso o Vovô derrote o Figueirense no Orlando Scarpelli. A equipe goiana completou seu terceiro jogo sem vitória e, apesar da terceira colocação, com 41 pontos, tem que abrir o olho para não deixar os adversários que estão abaixo chegarem. Mesmo assim confio que o Atlético não corra riscos pois Mauro Fernandes montou um bom time e a má fase vai passar. Já a Ponte, que não ganhava há 3 jogos, subiu para a sexta posição (pelo menos até este sábado), com 35 pontos e segue sonhando com a elite em 2010.

- O Campinense, que há algumas rodadas parecia fadado ao rebaixamento e à lanterna, parece ter despertado no campeonato e com os 5 a 1 diante do Ipatinga, nesta sexta-feira, chegou aos 23 pontos, na 18ª colocação, a apenas 3 pontos do primeiro time fora da zona de rebaixamento, que é o Vila Nova. Com toda a sinceridade, torço para que o clube paraibano permaneça, pois sua torcida é apaixonada e sempre bota bons públicos no estádio Amigão.

Não me venha com pose de santo!

Nelsinho Piquet provavelmente encerra a sua carreira na Fórmula 1 de forma melancólica, protagonizando o maior escândalo da história da categoria. Ao entregar Briatore e assumir que bateu de forma proposital no GP de Cingapura em 2008, Nelsinho não diminui em nada a sua culpa no ocorrido, como parece que a FIA está encarando o fato, "premiando" o piloto por colaborar com as investigações.

Em sua confissão, o brasileiro garante que apenas aceitou participar da armação, que daria a vitória da corrida ao seu companheiro Fernando Alonso, pois temia que seu contrato com a escuderia francesa não fosse renovado e se sentia pressionado por Briatore. Aqui entre nós, esse Piquet está de brincadeira, né?

Nelsinho mudou o resultado de uma corrida, talvez até mesmo de um campeonato. Mexeu com o destino de todos os pilotos da categoria, sem contar as equipes, seus integrantes e os muitos patrocinadores que depositam milhões de dólares nelas todos os anos. Utilizar o argumento de "fragilidade emocional", "estresse intenso" e "inexistência de um contrato" não diminui em nada sua participação na trama, e o fez sabendo das consequências e, assumidamente, pensando em tirar proveito da situação, melhorando sua relação com os chefes da equipe.

Iniciei este texto citando o provável fim da participação do piloto na Fórmula 1 e explico. Desde que chegou à categoria, Nelsinho nunca conseguiu nenhum resultado expressivo que confirmasse as expectativas nele depositadas. Portanto, não será pelos pontos conquistados que terá uma fila de equipes atrás dele. Também não será pela postura profissional e personalidade forte (esse passou longe). Por fim, por ter entregue o próprio chefe na primeira oportunidade que teve, não deve mais ser muito bem visto em uma categoria em que todo mundo tem algum rabo preso com alguém.

Isso sem contar que por aqui o filho do tricampeão nunca foi muito querido, principalmente pela falta de carisma. Pra piorar ainda mais a situação, ganhou de brinde uma suposição de Briatore de que o brasileiro mantinha uma relação com um homem mais velho na Inglaterra. Essa eu prefiro nem comentar, não me interessa em nada as preferencias sexuais de Nelsinho e tampouco acredito nas declarações do chefe da Renault, mas que isso suja demais a imagem ninguém pode negar.

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

O RAP DO 4X2

Olá blogueiros. Na edição de hoje do Tá na Área, do canal a cabo Sportv, os melhores momentos da partida entre Brasil e Chile foram apresentados de uma forma diferente. E o criador dessa inovação foi o nosso companheiro Felipe Vasconcellos. Mostrando uma faceta diferente (cantor de Rap) o nosso amigo mandou muito bem em rede nacional. Vamos conferir o resultado dessa mistura entre o Hip-Hop e o futebol.




FONTE: Globoesporte.com

NI DIOS SALVA

Nem Deus salva esse time argentino. Não estou falando de Maradona, a quem não tenho tanta pretensão como a maior parte dos argentinos em chamá-lo assim, estou falando do Ser Divino de verdade. Nem ele é capaz de fazer esse arremedo de time em que foi transformada a Argentina numa equipe de verdade.

Mais uma vez o que se viu, agora em Assunção, foi um emaranhado de jogadores perdidos. Sem tática, sem jogadas, sem inspiração, sem arremates, sem identidade. A Argentina é uma caricatura do que realmente pode ser. Uma equipe vibrante, raçuda e técnica. Hoje, essa Argentina que eu cresci admirando fica apenas nas minhas lembranças. Chegando ao ponto de sentir saudade das botinadas e entradas ríspidas de Sensini e Simeone. Dos passes açucarados de Redondo. Da segurança de Basualdo, da inteligência de Ortega e Saviola, da genialidade de Cannigia e também de Maradona...sim dele mesmo. Mas daquele Maradona vibrante, gênio, que eu vi em 90. E não dessa caricatura de si mesmo em que se transformou o maior jogador argentino de todos os tempos.

A Argentina hoje é a cara atual de seu treinador. Uma pessoa fora de si, sem reação. A todo momento a impressão que me dá é a de que Maradona é um altista como treinador. Ou então ele deve ficar pensando na furada em que se meteu, ao aceitar o convite do Sr. Grondona. Fico assistindo às partidas. Quando a câmera foca neste Maradona altista, penso comigo mesmo: “Boludo qué pasa? Hagas alguna cosa!” Y nadie...

A meu ver o todo-poderoso da AFA também tem parcela grande nesse desastre. Afinal foi dele a idéia de meter goela abaixo um treinador sem experiência e que, somente pela imagem de ser um ídolo nacional, tinha o respaldo popular. Mas agora nem mais esse respaldo Maradona tem. Isso é expressado nas enquetes dos principais jornais do país.

Maradona, volte a ser apenas um ídolo. Deixe esse negócio de treinador para quem entende. Porque não chamar Carlos Ischia, que está sem clube? Ou então até mesmo Leonardo Astrada, ex-técnico do Estudiantes, ou então se falta vontade o remédio pode vir na pele de Simeone, atualmente técnico do San Lorenzo.
Por Raphael Martins

NILMAR, HAT-TRICK E MÃO NA VAGA


Olá blogueiros. Mais uma vitória da seleção brasileira (4x2) e a série invicta sob o comando do técnico Dunga continua firme (19 jogos). O triunfo desta quarta-feira foi o quinto seguido nessas Eliminatórias. Na próxima rodada, em outubro, vamos enfrentar a Bolívia em La Paz e fechamos contra a Venezuela em Campo Grande (MS). No caso de mais uma vitória, esse grupo iguala um recorde que pertence ao grupo que conquistou o tri em 70.

Deixando os números e recordes de lado, que apresentação do atacante Nilmar! O camisa 11 mostrou oportunismo, movimentação e muita determinação. Podemos reparar que o centroavante marcou três gols com estilos diferentes. O primeiro mostrou oportunismo e muita luta. No segundo, mostrando faro de artilheiro e ótima colocação para concluir de cabeça o cruzamento do lateral Maicon. E por fim, marcou o terceiro gol pegando um rebote batendo de primeira na pequena área. O atacante do Villareal está muito próximo de participar da próxima Copa. Seu maior concorrente, Alexandre Pato, ainda não aproveitou uma chance na seleção como Nilmar. Fica a pergunta: Com o futebol que o Robinho não está jogando, Nilmar merece fazer dupla com o Fabuloso?

Outro destaque foi a participação do lateral-direito Daniel Alves. Nem sei se podemos classificar esse garoto de lateral. Daniel joga naquela segunda linha de quatro no meio campo, aberto pela direita e com total liberdade para criar e atacar. Foi assim no Sevilla, como o próprio afirmou após a partida, e no Barcelona o brasileiro também surge como uma opção de ataque pelos lados do campo. Dunga cada vez mais entende essas características do baiano e está aproveitando muito bem. Acho que até o início do mundial Daniel Alves será escalado, como ontem, na vaga do meia Elano.

Agora resta uma dúvida até as duas últimas rodadas das Eliminatórias (Bolívia, dia 10, fora, e Venezuela, dia 14, em Campo Grande-MS). Será que o técnico Dunga vai poupar os titulares das últimas convocações? A seleção joga na altitude de La Paz, contra a Bolívia e seria de bom grado poupá-los do desgaste. É muito possível que o comandante convoque jogadores do Brasil e algumas novidades da Europa. Seria uma boa oportunidade para ver melhor jogadores como Diego Souza e Cleiton Xavier. Para o retorno do zagueiro Thiago Silva (já que na minha opinião Miranda não mostra segurança). Na lateral-esquerda, Dunga pode observar o garoto Filipe Luis como titular. E na armação das jogadas, Diego pode voltar para ser mais bem analisado. Na partida de ontem ficou claro que esse grupo não tem um reserva para Kaká. Diego pode ser esse homem.


Vejam os gols da vitória da seleção:


FONTE:Globoesporte.com