quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

OS CAMPEÕES DE 2009



Olá blogueiros. Primeiro, um feliz 2010 para todos os internautas e blogueiros do Brasil e do mundo. Esse ano passou rápido e com muitas surpresas e grandes emoções. Neste post de despedida, queria relembrar os campeões do ano nos estaduais, na Copa do Brasil, Libertadores, Brasileirão, Sul-Americana e as conquistas da seleção. Vamos aos campeões:


ESTADUAIS

Carioca: Flamengo
Paulista: Corinthians
Mineiro: Cruzeiro
Gaúcho: Internacional
Paranaense: Atlético-PR
Catarinense: Avaí
Goiano: Goiás
Baiano: Vitória
Pernambucano: Sport
Cearense: Fortaleza

COPA DO BRASIL

Corinthians

LIBERTADORES

Estudiantes de La Plata

COPA DAS CONFEDERAÇÕES

Seleção Brasileira

SUL-AMERICANA

LDU-Equador

BRASILEIRÃO

Flamengo


É isso aí blogueiro!! Um feliz Ano Novo para todos e muito sucesso em 2010...

quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

Acordem o Papai Noel carioca!

Amigos do Passando a Bola, antes de mais nada, um feliz Natal a todos vocês que nos acompanham. O post de hoje tem a ver com o espírito natalino e com a tradição da data em relação a troca de presentes.

O torcedor do Rio, exceto o vascaíno, tem motivos para se preocupar neste final de ano. Afinal, somente o clube de São Januário se movimentou para contratar. Aliás, trouxe 10 novos jogadores, a maioria deles sem muito nome, é verdade, mas que mostraram qualidade neste ano que está acabando. Porém, tricolores, alvinegros e rubro-negros carecem de novidades. Enquanto as equipes de São Paulo, Minas e Sul já montam seus elencos para 2010, os times daqui permanecem estagnados.

O Flamengo sonhou com Kléber. Não conseguiu. Sonhou com Marquinhos. Nada rolou. E ainda por cima perdeu o ótimo volante Aírton e não renovará com Zé Roberto. A bola da vez agora é Vágner Love, mas esta história está com cheiro de novela e daquelas longas. As boas notícias foram as renovações de Andrade, Angelim e, principalmente, Adriano. E claro o novo patrocínio, com a Hypermarcas, no valor de R$28 milhões anuais, o maior do Brasil. Mas o time precisa de reforços para buscar o título da Libertadores, talvez o maior objetivo do ano que se aproxima.

A situação de Fluminense e Botafogo é ainda pior. Os dois clubes disputam jogadores de qualidade duvidosa como se fossem grandes craques do futebol. Chega a ser ridícula essa história de um ficar atravessando os negócios do outro por nomes como Ewerton e Somália. Sem contar no volante/lateral Thiaguinho, que trocou General Severiano pelas Laranjeiras.

Vamos ver se este espírito natalino chega atrasado e na semana que vem tenhamos novidades a comentar no futebol daqui, porque até agora este final de 2009 está muito sem graça.

Feliz Natal a todos!

quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

NO ANO DOS RETORNADOS, O MITO VOLTA ÀS PISTAS



Olá blogueiros. “Recomeçar” foi o verbo do ano, começando pelo retorno de Ronaldo aos campos de futebol vestindo a camisa do Corinthians. O fenômeno chegou, causou ondas de pessimismo e de euforia e venceu! A sua equipe conquistou os objetivos mais imediatos, como a vaga para a Libertadores, e tudo isso, com gols decisivos do “gordo”, decisivos e lindos. Sem duvida nenhuma foi um sucesso o retorno do atacante pentacampeão mundial. Outro retorno muito importante e muito comentado foi a volta do Imperador aos campos e principalmente vestindo a camisa do clube de seu coração. Adriano chegou e venceu no Flamengo. O atacante foi artilheiro e campeão brasileiro com o clube. A equipe foi campeã depois de 17 anos e outro tabu foi quebrado. O Rubro-Negro não tinha um artilheiro no Brasileirão desde 82, quando Zico marcou 21 gols no certame.

Ainda no Flamengo, outro que renasceu foi o sérvio Petkovic. O “gringo”, como é conhecido no Rio, voltou a vestir o manto sagrado, e nesse caso, com muita desconfiança por parte da critica especializada. Mas a desconfiança não ficou restrita a mídia. A cúpula do futebol (Kleber Leite, Plínio Serpa Pinto e Cuca), foi contra a chegada do Pet. Resultado, dirigentes e treinador caíram fora e o meia levou a equipe até o sexto título nacional. Deu para ver que 2009 foi um ano repleto de exemplos positivos de atletas que retomaram a carreira.

O ano acaba com mais dois retornos. O primeiro foi anunciado no início do mês. Dodô, depois de um ano e meio parado, por causa de uma suspensão por doping, vai ser atacante do Vasco na temporada 2010. O atacante sempre foi talentoso no oficio de marcar gols. Seu apelido já diz tudo – Artilheiro dos gols bonitos – um belo apelido. Eu acredito que a onda positiva dos retornados de 09, vai continuar no ano que vem. Historicamente, o Vasco se dá muito bem com apostas no ataque. Evair (era um veterano em 97), Alex Dias, Leandro Amaral (os dois chegaram sem cartaz e marcaram muitos gols) e Elton (artilheiro da Série B). Aposto no Dodô fazendo sucesso no Carioca 2010.

Por fim, o segundo retorno que mencionei. Michael Schumacher, Hepta Campeão de Fórmula 1, anunciou, hoje, seu retorno as pistas. O alemão vai defender a escuderia alemã Mercedes Benz, antiga Brawn GP, atual campeã mundial de construtores e de pilotos. Shumi volta às pistas depois de dois anos parado e um acidente pilotando uma moto. O acidente por sinal impediu o retorno ainda nessa temporada, para substituir o amigo Felipe Massa na Ferrari. O contrato com a montadora que o lançou na categoria é de três anos. O maior vencedor da história tem 99 vitórias e deseja muito a centésima nesse retorno.


Olha, não sei se Schumacher vai voltar e conquistar o Octacampeonato, mas acredito na competitividade do mito. Ano que vem a Fórmula 1 vai contar com uma constelação (Schumacher, Alonso, Kimi Räikkonen, Lewis Hamilton, Jenson Button e Massa), são 12 títulos mundiais, haja champanhe.

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

OS REIS DO FUTEBOL

A elite do futebol mundial vestiu os seus melhores trajes de gala para assistir à coroação dos maiores jogadores de 2009 no Kongresshaus de Zurique. Em uma noite gelada que coincidiu com o início do inverno na Europa, a festa contou com o calor típico da América do Sul. Os principais vencedores foram o argentino Lionel Messi e a brasileira Marta, que levaram os prêmios de Jogador e Jogadora do Ano da FIFA.

O Prêmio FIFA Fair Play trouxe o momento mais emotivo da noite com a homenagem ao falecido Sir Bobby Robson pela contribuição ao fair play ao longo da sua carreira. Admirado pelo cavalheirismo dentro e fora de campo, o inesquecível técnico inglês faleceu em julho deste ano. Foi a viúva Elsie Robson quem recebeu o prêmio das mãos do vice-presidente da UEFA, Senes Erzic.


O presidente da FIFPro, Gerardo G. Movilla, e o alemão Franz Beckenbauer tomaram a palavra em seguida para a premiação da Seleção Mundial FIFA/FIFPro, eleita pelos votos de mais de 50 mil jogadores profissionais do mundo todo. Os integrantes da equipe dos sonhos de 2009 subiram ao palco e foram todos ovacionados pelo público presente. "É uma honra receber este prêmio, sobretudo quando vem diretamente de nossos companheiros. É um reconhecimento especial", afirmou o inglês John Terry, do Chelsea, eleito para a seleção ideal junto com: Casillas (Real Madrid); Daniel Alves (Barcelona), Vidic (Manchester United), Evra (Manchester United); Xavi (Barcelona), Gerrard (Liverpool) e Iniesta (Barcelona); Messi (Barcelona), Cristiano Ronaldo (Real Madrid) e Fernando Torres (Liverpool).


Uma a uma, as cinco candidatas a Jogadora do Ano da FIFA, à exceção de Birgit Prinz, que não pôde comparecer por estar doente, subiram ao palco e conversaram brevemente com Charlotte Jackson. E então chegou a hora da verdade. Blatter e Charmaine Hooper, integrante do Comitê de Futebol Feminino da FIFA, abriram o envelope dentro do qual estava a confirmação da quarta conquista consecutiva da brasileira Marta.


"É um grande momento para mim, mas também para o futebol feminino como um todo. Estou orgulhosa de alcançar isso em nome dessa modalidade fantastica que é o futebol feminino. Espero que o fato de ser a primeira a conseguir quatro títulos sirva para impulsionar ainda mais o futebol feminino", afirmou com olhos marejados a maior vencedora do troféu em todos os tempos.


Os cinco candidatos ao prêmio mundial sentaram-se em um sofá no palco para conversarem com Pedro Pinto, e alguns não conseguiam esconder o nervosismo. Finalmente, Blatter e o presidente da UEFA, Michel Platini, puseram fim à tensão e abriram o envelope que coroou Lionel Messi como o Jogador do Ano da FIFA 2009.


"Queria agradecer, antes de tudo, aos colegas que votaram. É uma honra tremenda e algo muito especial recber esse tipo de reconhecimento. Quero dividir este prêmio com meus colegas do Barcelona. É a melhor maneira de encerrar um ano maravilhoso para mim e para o clube", comentou emocionado o primeiro jogador argentino a conquistar o prêmio.


Em meio à salva de palmas, o Harlem Gospel Singers entoou a marcha de despedida "Happy Days", enquanto todos os premiados da noite rodeavam Messi. O público aplaudiu de pé a constelação de astros e estrelas reunidos no palco e celebrou assim o fim de uma festa histórica.


Fonte: FIFA.com

sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

COMEÇA A FASE DOS GIGANTES

Olá blogueiros. As oitavas de final da Liga dos Campeões da UEFA já tem seus confrontos definidos. Nesta sexta-feira aconteceu o sorteio e grandes clássicos do continente vão ilustrar a fase final do maior torneio interclubes do mundo. Destaque para os confrontos entre Inter de Milão e Chelsea (José Mourinho reencontra seu ex-clube). A outra equipe de Milão, o Milan, também vai encarar uma potência inglesa. O Manchester United entrou no caminho da equipe dirigida pelo brasileiro Leonardo. Os gigantes espanhóis tiveram sorte diferente. O atual campeão da Europa, Barcelona, vai encarar o fraco Stuttgart. Já o Real Madrid vai enfrenta o Lyon da França. Vale lembra, que nessa década as duas equipes se enfrentaram quatro vezes, sempre na fase de grupos, e os franceses estão invictos. São duas vitórias na França e dois empates na Espanha.

A novidade desta edição é que as partidas pelas oitavas de final serão disputadas em quatro semanas e não em duas, como costuma ser. Os jogos de ida serão 16-17 de fevereiro e 23-24 do mesmo mês. A volta será nos dias 9-10 de março e 16-17 do mesmo mês. A decisão da Liga dos Campeões está marcada para o estádio Santiago Bernabéu, em Madri, no dia 22 de maio.

Confrontos das oitavas de final da Liga dos Campeões:


Stuttgart x Barcelona; O atual Campeão se deu bem no sorteio. O Stuttgart fez uma campanha sofrível na fase de grupos e ocupa a 15ª posição no Campeonato Alemão. Acredito que Messi, Ibra e cia não terão problemas para avançar. Palpitão: Barcelona


Olympiacos x Bordeaux; O galinho Zico pegou uma pedreira nas oitavas de final. O Bordeaux vive uma grande fase, venceu o Campeonato Francês depois de dez anos e fez uma fase de grupos espetacular, com a melhor campanha. A equipe dirigida por Laurent Blanc, também está disparada na ponta do Campeonato Francês. Para o Olympiacos fica a missão de fazer o resultado em Atenas. Palpitão: Bordeaux


Internazionale de Milão x Chelsea; Um dos grandes confrontos dessas oitavas de final. Começando pelo banco de reservas, com certeza Mourinho x Ancellotti será um atrativo especial. Os dois conhecem muito bem seus adversários. O português comandou por três temporadas o Chelsea e praticamente montou esse elenco. Já o italiano foi técnico por quase uma década do maior rival da Inter, o Milan. Na minha opinião os londrinos estão bem na frente da equipe da Lombardia. Os neriazzurri venceram apenas duas vezes na fase de grupos e foram totalmente dominados pelo Barcelona nas duas partidas do grupo. O Chelsea tem uma equipe sólida e muito experiente. Papitão: Chelsea


Bayern de Munique x Fiorentina; Devido o momento complicado que vivi o gigante alemão, eu acredito em um confronto equilibrado. A equipe viola tem no oportunismo de Gillardino seu grande trunfo. O Bayern conta com algumas estrelas, mas quem vem decidindo é o alemão Mário Gómez e o croata Olic. Palpitão:Fiorentina


CSKA Moscou x Sevilla; A bolinha foi amiga do Sevilla! O CSKA não vive bom momento, perdeu mais uma vez o campeonato russo para o Rubin Kazan e ainda não se encontrou sob o comando do técnico Juande Ramos, que por sinal, foi o técnico que começou todo o processo vencedor do Sevilla, que chegou ao título da antiga Copa Uefa. Os espanhóis capitaneados pelo brasileiro Luis Fabiano têm grandes chances de passar para as quartas de final. Palpitão: Sevilla


Lyon x Real Madrid; Como falei no texto de abertura os franceses são uma pedra no caminho dos merengues. Nessa década as duas equipes se encontraram quatro vezes, todas pela fase de grupos, e o Lyon saiu invicto desses confrontos. Foram dois anos seguidos (2005 e 2006). Ainda comandados pelo brasileiro Juninho Pernambucano, os franceses venceram por 3 a 0 em casa e empataram 1 a 1 no Bernabéu em 2005. No ano seguinte, o mesmo desempenho, 2 a 0 no Gerland e 2 a 2 na Espanha. O Real Madrid não avança para as quartas de final desde de 2004, quando foi eliminado pelo Mônaco. Dessa vez com craques do calibre de Kaká e C. Ronaldo, acredito que a equipe passe pela difícil missão que é encarar esse Lyon de Michel Bastos, Pjanic´ e Lisandro López. Palpitão: Real Madrid


Porto x Arsenal; O Porto caiu em um grupo difícil com Atlético de Madrid e Chelsea, mas os portugueses se impuseram e contaram também com a pífia campanha dos espanhóis e se classificaram com tranquilidade. Os dragões contam com uma dupla de ataque bem forte, Falcão Gárcia e Hulk dão trabalho para as defesas adversárias. Os londrinos do Arsenal, tem um time jovem e muito talentoso, mas passam por uma fase complicada devido as varias lesões de seus principais jogadores. Confronto equilibrado! Palpitão: Arsenal


Milan x Manchester United; Por fim, outro confronto daqueles que a gente chama de duelo de gigantes. O Milan começou muito mal a temporada, mas se recuperou depois da vitória em cima do Real Madrid no Santiago Bernabéu. De lá pra cá, a equipe vem mostrando um futebol solto e bem ofensivo. Ronaldinho Gaúcho, Seedorf e Pato têm jogado um belo futebol. Neste início de temporada o Milan mostrou mais eficiência jogando fora de casa, buscando os contra-ataques mortais puxados por Ronaldinho Gaúcho. Já o Manchester, continua sendo uma equipe sólida e muito perigosa. Mesmo sem o talento de Cristiano Ronaldo e Tevez, a equipe ainda conta com a força e o oportunismo de Rooney, a experiência e a visão de jogo de Giggs e a habilidade de Michael Oewn. Palpitão: Milan

Nomes no Botafogo são bons, mas...

O Botafogo, aos poucos, começa a se montar para 2010. Meio lentamente, é verdade, mas, dentro das possibilidades financeiras do clube, os nomes acertados e especulados até agora me agradam. O primeiro 100% certo é o meia Renato Cajá (foto), que veio do Grêmio, mas que ganhou destaque mesmo na Ponte Preta, vice-campeã paulista de 2008. Renato era o camisa 10 e o grande nome daquele bom time, que revelou, entre outros, o volante Elias, titular absoluto do Corinthians. O problema é que ele desempenha função bastante parecida com a de Lucio Flavio. A diferença é que o reforço é canhoto. Não consigo imaginar os dois atuando juntos, mas se tivesse que optar por algum, pelo que já vi dos dois ao longo dos anos, preferiria o Renato.

Outro nome que foi anunciado como quase certo é o do volante Somália, que disputou pelo América-RN a Série B. Apesar do time potiguar ter feito péssima campanha na Segundona, o jogador se destacou bastante, marcando gols e mostrando qualidade no passe nas saídas de bola. Junto com o atacante Lúcio, foi o grande nome do América, tanto é que durante a competição chegou-se a comentar um interesse do Vasco no atleta. É aposta, mas válida.

Outros jogadores também são especulados, como o zagueiro Antônio Carlos, o lateral-esquerdo Marcelo Cordeiro e os meias Marquinhos e Willians, do Palmeiras. O primeiro é experiente, apesar dos 26 anos, e foi titular na campanha que levou o Atlético-GO à Série A. Seria um bom substituto para o ex-capitão Juninho, que acertou com o futebol coreano. Marcelo Cordeiro (foto) foi reserva de Kléber, no Inter, durante todo o ano, mas em 2008 foi destaque do Vitória no Brasileirão. O Bota passou esse ano inteiro com problemas na lateral esquerda, improvisando inúmeros atletas até se acertar com Diego, outro que não era da posição (é zagueiro de origem). Por isso Marcelo seria uma boa contratação.

Marquinhos e Willians são outros jogadores que se destacaram bastante no Brasileirão de 2008 pelo Vitória. Foram contratados pela Traffic, que os repassou ao Palmeiras, onde tiveram poucas oportunidades este ano, muito em função das lesões que sofreram. Mas seriam ótimas aquisições. O problema é que o negócio envolve várias partes. A Traffic tem interesse, mas Palmeiras e Vitória ainda não muito.

De todo caso, mesmo com essas contratações se concretizando, ainda é pouco para o Botafogo, se o clube não quiser passar sufoco no Brasileirão do ano que vem. Para o Carioca talvez dê certo, mas já está na hora do Alvinegro voltar a pensar grande, de acordo com suas tradições.

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

FIM DA NOVELA ANDRADE

Olá blogueiros. Enfim, a novela Flamengo/ Andrade chegou ao fim. Nesta quarta-feira a diretoria do clube carioca voltou a se reunir com o técnico hexacampeão e Andrade aceitou os 150 mil reais oferecidos pelo Rubro-Negro. O novo contrato tem duração de um ano e o ex-zagueiro Rogério Lorenço, técnico da seleção sub-20, será auxiliar do técnico.

A situação parecia se encaminhar para o rompimento na noite desta terça-feira, depois de um jantar meio indigesto entre as partes. Andrade saiu com cara de poucos amigos, devido a manutenção da proposta do Flamengo (150 mil), o treinador estava pedindo um valor por volta dos 220 mil. Fim da novela com final feliz para todo mundo. O Flamengo mantém o técnico campeão e que tem o grupo na mão, por um valor compatível com sua realidade. Já Andrade, continua no comando de um elenco campeão e muito forte. Que vai oferecer uma chance muito grande para ele conquistar mais títulos, principalmente a Libertadores, e com isso ele terá mais barganha para ganhar um salário do nível dos grandes “professores” do Brasil.

Andrade foi espetacular em 2009! Assumiu um time com a guarda baixa depois de varias derrotas e brigas internas com o ex-técnico Cuca. Arrumou a casa, mudou o esquema, deu moral para jogadores como Petkovic, Zé Roberto e Everton e levou a equipe ao título Brasileiro.

Com tudo isso, não acho que a oferta do Flamengo foi ofensiva e injusta. O “Tromba”, ganhava 10 mil em junho, como funcionário do clube, passou a ganhar 50 mil quando foi efetivado no comando da equipe. Agora com a conquista, 150 mil é muito justo. O clube não tem que pagar 300, 400, 500 mil reais por mês só porque os “fanfarrões” de São Paulo torram essa grana.

Quem decide, quem faz a diferença são os craques dentro de campo. Essa supervalorização de Luxemburgo, Muricy e Mano é efeito colateral de um futebol sem craques dentro de campo. Como nossos “professores” não têm o mesmo mercado que os jogadores, as equipes investem nos engravatados.

O Flamengo tem que investir em seus craques, seus jogadores, eles sim vão levar o clube às conquistas da próxima temporada. Tem que gastar para segurar o Imperador, o Pet, Bruno, Maldonado, Angelim etc.

E para encerrar essa chatice, quando alguns colegas falam que se o Flamengo não pagar o que o Andrade tava pedindo acabaria pagando para outro técnico. Isso não é verdade! Joel Santana ganhava um salário semelhante, tanto que nem pensou duas vezes para aceitar a proposta da África do Sul em 2008. Eu me lembro perfeitamente que o Joel falou que a proposta era cinco vezes maior que o seu salário. Já não é de hoje que o Departamento de Futebol do clube paga salários mais pé no chão. Cuca recebia 150 mil, o clube ofereceu 80 para Vagner Mancini substituir o Campeão Carioca deste ano. Mancini não aceitou e o Flamengo efetivou o Andrade. Então vamos para com esse papo de preconceito, má vontade... Andrade tem que superar essa página da sua vida, essa diretoria o efetivou e bancou ele no cargo. Agora é bola que segue e trabalho, muito trabalho em 2010.

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

PASSANDO A BOLA - MESA REDONDA

Olá blogueiros. Depois de um mês ausente, o Passando a Bola - Mesa Redonda voltou. Está no ar nosso último programa de 2009. Vamos escolher a seleção do Brasileirão 2009, o gol mais bonito da competição e o craque. No segundo bloco, vamos analisar os grupos da Copa do Mundo da África do Sul. Aproveite e até 2010!


Neste bloco a escolha da seleção, do craque e do gol mais bonito do Brasileirão 09.




Neste último bloco, uma análise dos grupos da Copa do Mundo.

domingo, 13 de dezembro de 2009

2010 para o Vasco já começou

Amigos, depois de longo e tenebroso inverno, estou de volta ao Passando a Bola. E cheio de coisas pra comentar. Hoje vou dar minha opinião sobre as primeiras movimentações no mercado brasileiro, especialmente no Rio de Janeiro, uma semana após o término do Campeonato Brasileiro.


O Vasco, por ter encerrado a temporada antes, saiu na frente em termos de planejamento para 2010. O ideal seria que Dorival Junior continuasse, afinal conhecia o elenco, o clube, tinha a empatia da torcida e sabia exatamente das necessidades cruzmaltinas. Mas diante da enorme pedida salarial, como foi publicado na imprensa esportiva, acho que o clube pode trilhar o caminho do sucesso mesmo sem Dorival. E escolheu bem o substituto. Gosto de Vágner Mancini (foto). É novo, tem boas ideias, sério, discreto, não gosta de aparecer mais do que seus jogadores, ou seja, perfil bastante semelhante ao seu antecessor. Isso sem contar nos bons trabalhos que já realizou em sua curta carreira: campeão da Copa do Brasil pelo Paulista, em 2005, campeão baiano com o Vitória em 2008, além do vice-campeonato paulista com o Santos este ano.

Em relação às contratações, porém, acho que o Vasco precisa investir em nomes que deem a certeza de que vão chegar e assumir a titularidade. Claro que a situação financeira do clube não é nada boa, parte do dinheiro da Eletrobrás só vai ser depositado quando novas certidões negativas de débito forem obtidas, mas não custa nada fazer um esforço. Dos nomes que acertaram e dos que estão quase certos, poucos me chamam a atenção. Gosto muito do Léo Gago, mas por enquanto só. Élder Granja já teve inúmeras oportunidades e nunca conseguiu se firmar depois que saiu do Inter; Jumar também não deixará saudades no Palmeiras, assim como Gustavo, zagueiro que já teve seus brilharecos, mas não é unanimidade. Márcio Careca fez um bom campeonato pelo Barueri, é verdade, mas é aposta. Vestir a camisa vascaína é bem diferente do que atuar por um clube que não tem torcida e tradição. E Geovane Maranhão, convenhamos, não pode ser esperança de nada.

Dos que estão para acertar, Rafael Coelho (foto) é bom jogador. Novo, 21 anos, foi um dos artilheiros da Série B. Tem um estilo que me lembra muito o Kléber (por enquanto só o estilo). Brigador, marrento, mas habilidoso e goleador. Chega, na atual situação, para assumir a camisa 9. Rafael Carioca também é ótimo volante, se destacou no Grêmio fazendo dupla com William Magrão, em 2008. Se vier, poderá formar nova boa parceria, desta vez com Léo Gago. Fala-se também em Herrera e Reinaldo. O primeiro me agrada e o Vasco precisa de um centroavante típico, especialmente após as saídas de Aloísio e Élton. O segundo não acredito que seja um bom investimento, principalmente pelas lesões que o atrapalharam em 2009.

Mas pra mim a necessidade maior do Vasco é com o sistema defensivo. O time base hoje tem Fágner, Fernando, Gian e Márcio Careca lá atrás e isso, em termos de Campeonato Brasileiro, não condiz com a grandeza do clube e com as expectativas da torcida, que quer ver o Cruzmaltino de volta às cabeças do futebol nacional. Pelo menos dois bons zagueiros devem ser contratados. Incluiria também um bom centroavante (comenta-se em Rafael Sóbis, que não é um homem-de-área, mas é excelente atacante) e o time estaria arrumado para fazer um bom primeiro semestre. Mas vejam bem, PRIMEIRO SEMESTRE. Para o Brasileirão, os investimentos precisam ser maiores.

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

CASI CAMPEÓN

O Banfield está a uma rodada de um feito histórico. O Taladro precisa de uma vitória para conquistar o seu primeiro título nacional em seus 113 anos de fundação. Não só por isso, assim como o seu rival de zona, o Lanús em 2007, o Banfield poderá dar a volta olímpica na Bombonera. Seria a segunda equipe, sem ser o próprio Boca Juniors a fazê-lo desde que o estádio foi construído.

Na noite desta quarta-feira o Banfield jogou o suficiente para derrotar o Tigre por 1 a 0, no Estádio Florencio Sola. O gol foi de Victor López aos 40 do segundo tempo e em posição de impedimento, é bom registrar. Mas o Taladro não tem nada a ver com isso e só depende de si.

O problema está do outro lado do campo. Os jogadores e a diretoria do Boca Juniors tratam o jogo como se fosse uma final, onde o clube Xeneize teria condições de abocanhar o título. O orgulho está em jogo. Não querem ver outra equipe comemorando o título em seu solo sagrado. Na consciência boquense a Bombonera é um campo santo. Um território onde só é permitido a um lado fazer a sua História. O Banfield não vai enfrentar apenas um time sem chances de alcançar coisa alguma, mas terá um adversário que talvez seja muito maior que ele. Este rival é o peso da camisa azul y oro.

Torcendo também para o Boca vai estar a torcida leprosa em Rosario. O Newell’s Old Boys venceu como visitante o Gimnasia, por 2 a 0, e agora está dois pontos atrás do Taladro (41 a 39). O time de Simeone vai enfrentar na última rodada o San Lorenzo, em seu estádio, o Coloso Del Parque. Para ser campeão tem que vencer e torcer por derrota do Banfield. Se ganhar e o Taladro empatar, teremos jogo extra para decidir o campeão do Torneio Apertura 2009.

Todo definido


Os resultados da penúltima rodada definiram todos os clubes argentinos que disputarão a próxima Copa Libertadores. Lanús, Banfield e Newell’s se garantiram ao lado de Vélez, Estudiantes e Colón, que já entraram na rodada classificados. Como já prevíamos aqui no Passando a Bola, nenhum dos cinco grandes argentinos conseguiu uma vaga. Falta apenas definir em quais posições estarão dispostas na tabela da Libertadores, mas Lanús, Colón, Banfield ou Newell’s poderão enfrentar Flamengo ou Internacional na primeira fase.

El capitán


Capitão da Argentina na conquista de 78, Daniel Passarella agora é presidente do River Plate. Vai ter como principal desafio colocar o clube no caminho em que sempre esteve: o dos títulos. Uma das principais instituições desportivas do mundo, o River estava vivendo o pão que o diabo amassou. Dirigentes incompetentes, corrompidos por interesses pessoais e que mantinham ligações promíscuas com os barras-bravas dominavam o cenário Millonário desde que José Maria Aguilar havia assumido em 2001.

Oito longos anos depois, o River pede ajuda. O clube não ganha um título desde o Clausura 2008. No período posterior viveu uma fase tenebrosa, tendo terminado em último no Torneo Apertura do mesmo ano de 2008 (sua pior colocação na História), oitavo no Clausura deste ano, e atualmente agoniza na 15ª posição do Apertura 2009. Até o início de 2008 era o clube com a melhor média de pontos, agora já é o 12º.

Desejo muita sorte a Daniel Passarella.


Por Raphael Martins

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

17 ANOS DEPOIS...



Olá blogueiros. E só podia ser no domingo né? Como eu escrevi neste domingo, o dia era perfeito para uma grande festa no mais tradicional estádio do mundo. E o Flamengo não perdeu a oportunidade. Mesmo com o peso de quase 100 mil pessoas nas pernas, a equipe soube controlar os nervos e se deixou levar pela força da massa e conquistou os três pontos mais importantes dos últimos 17 anos (2x1). Para quem achava mesmo que o Grêmio entregaria o jogo, ficou a lição. Os gaúchos foram bravos e dignos! Jogaram como se estivessem disputando o título. Com toda a certeza valorizam muito o HEXA do Flamengo. Qualquer reclamação por parte do lado vermelho do Rio Grande, é mero chororô.

O Flamengo é Campeão com toda a justiça do mundo. Mesmo fazendo um fraco primeiro turno, sendo o campeão com menor aproveitamento dos pontos corridos, trocando de treinador no meio da competição, a equipe conseguiu ser eficiente na hora H. Quando a coisa começou a ficar séria, o Mengão não tremeu, pelo contrário, cresceu e chegou ao título. Os Rubro-Negros saíram do 14ª lugar e chegaram à liderança apenas na penúltima rodada. Enquanto Palmeiras e Inter lideraram a competição por “milhões de rodadas”, o Flamengo foi líder por duas vezes. Chegou ao momento decisivo e por isso merece e muito esse caneco. A equipe carioca teve alguns números reveladores no Brasileirão desse ano.


Números do Flamengo:

Maior número de vitórias: Flamengo e Inter (19)
Menor número de derrotas Flamengo e São Paulo (9)
2ª melhor defesa do campeonato: Flamengo (44 gols sofridos)
Maior número de roubadas de bola: Flamengo (758)
Time com maior número de contra-ataques: Flamengo (134)
Time com mais bolas levantadas na área: Flamengo (657)
Time com mais escanteios a favor: Flamengo (249)
Artilheiro do Campeonato: Adriano (19 gols)
Melhor média de público: Flamengo (40 mil)

Não posso deixar de citar o técnico Andrade. O treinador Rubro-Negro foi a alma dessa equipe. Como escrevi ontem, ele assumiu na partida contra o Santos (o time não vencia desde 79 na Vila Belmiro). E não é que o tabu caiu na estreia do Andrade, 2 a 1, e choro no final da partida. Ali a torcida do Flamengo chorou também, e se faltava alguma coisa para colocar o eterno ídolo no colo nesse novo desafio, não faltava mais. Andrade ainda passou por turbulências no início do returno, quando a equipe acumulava 3 derrotas seguidas. Mas a diretoria segurou a onda, os jogadores contundidos voltaram e o treinador arrumou a casa e mudou o esquema do Flamengo. O hexacampeonato tem os seis dedos de Andrade.
Só lembrando que o “Tromba”, como é conhecido no meio da bola, vestiu por anos a camisa 6 do Flamengo, foi autor do sexto gol da vingança contra o Botafogo em 1981 e neste domingo venceu seu sexto título Brasileiro (80, 82, 83,87 e 89 – como jogador) e agora como técnico e para fechar a conta das coincidências, Andrade é campeão Brasileiro com apenas SEIS meses de trabalho.


Para encerrar, o elenco completo do Flamengo – HEXACAMPEÃO

GOLEIROS:
Bruno, Diego, Marcelo Lomba, Paulo Victor


ZAGUEIROS:
Álvaro, Ronaldo Angelim, David, Fabrício, Marlon, Wellinton

LATERAIS:
Leonardo Moura, Juan, Everton Silva, Medina, Rafael Galhardo, Jorbison

VOLANTES:
Aírton, Maldonado, Lenon, Toró, Rômulo, Willians

MEIAS:
Petkovic, Zé Roberto, Kléberson, Ibson, Alex Cruz, Erick Flores, Everton, Fierro, Camacho

ATACANTES:
Adriano, Emerson, Josiel, Obina, Gil, Bruno Mezenga, Bruno Paulo, Denis Marques, Max Biancucchi

TÉCNICO:
Andrade

domingo, 6 de dezembro de 2009

SÓ PODIA SER NO DOMINGO


Olá blogueiros. Domingo, 6 de dezembro de 09, o domingo mais domingo dos últimos 17 anos. Isso mesmo! Esse dia tão especial no calendário romano tem suas características especificas. Rituais e rotinas que fazem parte desse dia, somente desse dia. Domingo não é domingo sem macarronada no almoço, futebol às 17 horas e saudosismo no final do dia.

Queria abordar esse domingo pela ótica do futebol às 17h. Hoje no Maracanã tem jogo do Flamengo, e não é apenas um jogo, é a decisão do Brasileirão. Há 17 anos o time carioca não chega tão perto dessa conquista, a sexta no seu cartel. Toda a expectativa criada em torno desse jogo é muito justificável. A maior torcida do Brasil está prestes de protagonizar a maior festa dos últimos tempos. As pessoas nas ruas, nas lojas, no trânsito, na televisão, todos só falam nessa possibilidade. E para aumentar o drama, o Grêmio é o adversário do Flamengo (o inter precisa da vitória do Grêmio). Esse desfecho de campeonato é o mais coerente com a loucura que foi essa competição.

E o Rubro-Negro foi protagonista nessa loucura. Começando com o primeiro turno ridículo que a equipe fez. Passando pela demissão do Cuca e de toda a cúpula do futebol, as saídas de Íbson, Emerson e as contusões do Kléberson, Léo Moura e Juan, ainda no primeiro turno. No meio desse furacão todo, com um técnico interino/promovido e com mais de sete desfalques a equipe quebrou um tabu de 30 anos sem vitórias na Vila Belmiro. Ali foi um sinal que o trabalho poderia dar certo.

Começou o returno do Brasileirão perdendo as duas primeiras partidas (Cruzeiro e Avaí). Apartir do terceiro jogo (Santo André) a equipe ficou onze jogos invicta (até perder para o Barueri). Isso mesmo, o técnico Andrade recebeu os jogadores que estavam em recuperação e começou a arrumar o time. A diretoria fez sua parte, as contratações do zagueiro Álvaro e do volante Maldonado, foram determinantes. Até hoje eu me pergunto como as diretorias mais laureadas do BRASIL não pensaram nisso antes.

O jeito como o chileno Maldonado arrumou a cozinha do Flamengo foi histórico. A liderança do Álvaro também foi quimicamente perfeita. Foi o perfil ideal para recompor a ausência do capitão Fábio Luciano. Daí em diante o técnico Andrade teve material e segurança para montar sua equipe. E a equipe do Flamengo foi muito bem montada.

Um 4-3-3 muito eficiente. Na defesa a famosa e clássica linha de quatro jogadores. Os dois zagueiros e os laterais mais conservadores. No meio-campo, dois marcadores de qualidade e um meia de ligação. No ataque, um centroavante e dois jogadores bem abertos.
Time base: Bruno, Léo Moura, Álvaro, Ronaldo Angelim e Juan; Airton, Maldonado (Toró) e Petkovic; Willians, Adriano e Zé Roberto.
Esse time deu uma arrancada fenomenal, tirando mais de doze pontos de diferença para o Palmeiras, líder no início da arrancada. Vale destacar a esuberancia do futebol apresentado pela dupla Pet e Adriano. O "gringo" está jogando o fino e foi determinante na melhora do time. Sobre o Imperador, nem preciso escrever muito. É o artilheiro da competição com 19 gols. E tem cada golaço!

Das dezoito vitórias da equipe, onze foram conquistadas no segundo turno. A equipe venceu todos seus concorrentes de forma categórica. São Paulo, Palmeiras, Atlético-MG, sofreram nas mãos do FLAMENGO. E pelo menos dois (Palmeiras e Atlético-MG) perderam o rumo após a derrota. O time outrora desequilibrado e sem preparo para jogos fora do Maracanã, deu aula de como jogar como visitante. No caso de conquistar o hexa, será devido ao aproveitamento fora de casa. Por isso, quando falam que esse será o campeonato mais fácil, campeão de pior aproveitamento na era dos pontos corridos, nivelado por baixo e outras falácias. Eu tenho pena! Tenho pena, porque esse tipo de análise é cega e medíocre. Negar a beleza do imponderável e do equilíbrio positivo de forças é triste. Esse campeonato foi o melhor da história! O mais emocionante, mais equilibrado e mais imprevisível.

Isso devido ao grande número de craques que os times reuniram esse ano. Adriano, Fred, Pet, Diego Souza, Hernanes, Gilberto, Kleber, D´Alessandro, Ronaldo, Fernandão, Iarley, Diego Tardelli. Enfim, todos os times contam com pelo menos um jogador diferente no elenco. E isso faz a diferença. No caso do Flamengo foi exatamente isso que fez o time dar esse salto de qualidade na competição. Jogadores como Adriano, Pet, Maldonado, Léo Moura, Juan, Bruno, Willians e Zé Roberto, são decisivos pela grande qualidade que possuem.

Por isso Rubro-Negro, não se preocupe com o noticiário, com o Grêmio, o Inter, Palmeiras e São Paulo. Se preocupem em torcer e aproveitar esse dia, esse domingo tão especial. Eu vou para o Maracanã. Quero participar desse momento. Quero fazer parte do encerramento do melhor Campeonato Brasileiro da história.

Palpitão: Flamengo 2x0 Grêmio

sábado, 5 de dezembro de 2009

C.ALBERTO: "O TREINADOR QUE FOR ESCOLHIDO, VAI ENCONTRAR UM GRUPO VENCEDOR"



PASSANDOO A BOLA: Você é um jogador que transmite o que foi 2009. Agora o Vasco está na série A, tendo que jogar de igual pra igual e sem o Dorival. Como vai ser sem ele?

CARLOS ALBERTO: O planejamento vai continuar. Só que o Dorival, os atletas, o Roberto, que é o mandatário máximo do clube, foram responsaveis pela reconstrução do clube e por isso é normal a valorização dos profissionais. Não fico feliz porque eu queria que o Dorival continuasse. Fico feliz por ele, pela valorização que ele teve. Assim como alguns atletas (Elton), que o clube não vai ter como bancar a permanência na próxima temporada. Eu só tenho que enaltecer o trabalho do Dorival e espero que a gente continue com essa evolução e que o novo técnico encontre uma equipe pronta só esperando ele colocar as cerejinhas dele.

PB: Entre os nomes que estão sendo especulados para técnico do Vasco, você tem alguma preferência, já trabalhou com algum?

CA: O único que eu já trabalhei e conheço é o Ney Franco, mas te juro, eu não sei quem está mais perto ou quem vai assumir o time no ano que vem. Eu ouço o que todos ouvem. Agora eu tenho certeza que o treinador que for escolhido, vai encontrar um perfil de grupo vencedor. O treinador que chegar vai gostar muito do nosso ambiente.

PB: Você acha que tem que mudar muita coisa nesse grupo do Vasco para a próxima temporada, ou acredita que precisa apenas de algumas reposições e pequenos ajustes?

CA: Cara, eu não costumo dizer o que meu clube precisa ou o que meu grupo precisa. Eu vou sempre expor o que é necessário. O que eu tenho que resolver eu resolvo internamente com meus dirigentes, meu técnico e meu grupo. É lógico que qualidade é essencial e experiência também. Agora esse grupo agrega muitas qualidades que serão úteis na próxima temporada.

PB: O Vasco chega como favorito para conquistar o Carioca? Já que o Flamengo deve priorizar a Libertadores.

CA: Fazer prognóstico, principalmente no futebol é muito difícil. Eu vivo o futebol e observo muito a realidade do futebol. O Vasco chega para ganhar o título, como as outras equipes grandes. Se o Flamengo for favorito por ganhar o Brasileirão, se ganhar, ou o Fluminense e o Botafogo, por se salvarem da série B, e eu espero que o Rio termine bem a temporada, esse favoritismo fica fora do campo. Eu vejo o Vasco como as outras equipes que entram pensando em ser campeão. Agora favoritismo é complicado, você tem que provar todo dia que merece ser favorito e assim conquistar a competição.

PB: To reparando aqui Carlos, que toda hora um craque do passado vem cumprimentar você e te agradecer por essa campanha com o Vasco. Você conquistou toda a comunidade vascaína, como é isso?

CA: Cara, eu fico feliz por ter atingido até mesmo pessoas de fora do mundo do futebol. Eu não trabalho pensando em ser reconhecido por ninguém. Eu trabalho pelas pessoas que estão comigo, pelo prazer de realizar alguma coisa positiva e principalmente pelas conquistas. Fico muito feliz por se reconhecido por esses craques do esporte e eu apenas estou engatinhado perto deles.

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

BRASIL CONHECE SEUS ADVERSÁRIOS

O sorteio dos grupos da Copa do Mundo da África do Sul realizado pela FIFA nesta sexta-feira, na Cidade do Cabo, reservou as seleções da Coréia do Norte, da Costa do Marfim e de Portugal como adversárias do Brasil no Grupo G, na primeira fase da competição.


A Seleção Brasileira estreia na Copa do Mundo de 2010 contra a Coréia do Norte no dia 15 de junho, em Johanesburgo. O segundo adversário será a Costa do Marfim no dia 20 de junho, também em Johanesburgo. O terceiro jogo será contra Portugal, no dia 25 de junho, em Durban.

O presidente Ricardo Teixeira, como integrante do Comitê Executivo da FIFA, o supervisor Americo Faria, o técnico Dunga, o assistente técnico Jorginho, o assessor de imprensa Rodrigo Paiva e o administrador Guilherme Ribeiro estavam presentes ao evento. O sorteio dos grupos foi comandado pelo secretário-geral da FIFA, Jerome Valcke, e pela atriz Charlize Theron.


Dos adversários da primeira fase, a seleção já enfrentou em Copas do Mundo apenas Portugal. E a lembrança não é boa. Foi em 1966, quando o Brasil foi eliminado na primeira fase após perder por 3 a 1 para os portugueses. Curiosamente, Portugal conta com jogadores nascidos em terras brasileiras como o meia Deco, o zagueiro Pepe e o atacante Liedson.

Se ficar em primeiro lugar no Grupo G, o Brasil pode enfrentar Espanha, Itália, Argentina e Alemanha apenas na final se essas seleções também ficarem na liderança na primeira fase. E em um caminho mais fácil, o Brasil teria pela frente Chile ou Suíça nas oitavas, Holanda ou Paraguai nas quartas, França e Inglaterra na semifinal.

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

APERTURA: CAPÍTULOS FINALES

Após a disputa da 16ª rodada, o Torneio Apertura ganhou um novo líder. O Newell’s Old Boys desbancou o Banfield. Embora pareça que um ou outro vá mesmo conquistar o título do segundo semestre de 2009, outros candidatos entraram na disputa mesmo com chances muito pequenas.

Entre esses candidatos, o que tem mais chances matemáticas é o Vélez, que conquistou o Torneio Clausura no primeiro semestre. Mesmo na quinta colocação com 30 pontos, o time de Liniers ainda tem três jogos a fazer e está a seis pontos do líder. Mesmo estando em terceiro, o Colón tem chances menores porque tem uma partida a mais. O Sabalero acumula 31 pontos e pode chegar a 37 caso vença seus próximos compromissos, contra Atlético de Tucumán, como visitante, e Godoy Cruz, como mandante. Ou seja, tem que vencer e torcer para que Newell’s e Banfield não vençam seus três últimos jogos.

Já o Estudiantes, quarto colocado, com 30 pontos, o mesmo número do Vélez, não tem mais chances. Isso porque tem duas partidas a mais. O Pincha teve de adiantar seus jogos por conta do Mundial de Clubes. Ainda faz um jogo no Apertura, no próximo domingo, como mandante, a frente do Chacarita Juniors. O clube de La Plata só pode chegar aos 33 pontos.

Outros postulantes, menos cotados, são Independiente e San Lorenzo. Os dois têm 29 pontos e matematicamente podem chegar a 38. Mas tal como o Colón, precisam de um milagre.

Os resultados do último fim de semana serviram também para desvendar outras coisas. O Banfield perdeu para o Racing, em casa, por 2 a 1. Depois do jogo pairou uma pergunta. Será que o Taladro tem mesmo força para ser campeão? Ou vai ser mais um daqueles sonhos efêmeros de clubes pequenos, que lideram campeonatos e na hora do vamos ver, o sonho acaba feito miragem? Pode uma equipe que quer ser campeã perder, em casa, para uma outra que mesmo tendo camisa e tradição, ocupa um 15º posto, tendo vencido apenas três jogos em 16?

Por outro lado o Newell’s Old Boys, que mesmo não sendo considerado um grande, é um clube tradicional. Já conquistou cinco títulos argentinos e chegou a duas finais de Libertadores. Mesmo não jogando bem, o time de Córdoba bateu o Colón, fora de casa, por 1 a 0. Na briga pelo título, o peso da camisa e a experiência em momentos importantes fizeram a diferença nesta rodada.


Outros resultados: Rosario Central 1 x 1 Atlético de Tucumán; Independiente 2 x 0 Huracán; Chacarita 2 x 1 Godoy Cruz; River 1 x 1 Estudiantes; San Lorenzo 3 x 0 Boca; Tigre 0 x 3 Vélez; Arsenal 2 x 5 Lanús; Gimnasia 1 x 2 Argentinos.

Classificação: Newell’s 36; Banfield 35; Colón 31; Estudiantes 30; Vélez 30; Independiente 29; San Lorenzo 29; Rosario Central 27; Argentinos 25; Lanús 24; Boca 23; Arsenal 20; Atlético de Tucumán 16; River 15; Racing 14; Godoy Cruz 14; Chacarita 14; Gimnasia 13; Huracán 10; Tigre 8.


Camino hacia la Copa


Aos poucos também já se define os clubes argentinos que vão disputar a próxima Libertadores. Três já estão definidos. São eles Estudiantes, Vélez e Colón. Ainda restam três vagas. Mas uma delas já está com pré-reserva. Depois da goleada sobre o Arsenal por 5 a 2, o Lanús alcançou 62 pontos, abrindo cinco de vantagem sobre o Newell’s Old Boys na tabela acumulada de 2009. A outra vaga será o campeão do Apertura (Banfield ou Newell’s, muito provavelmente). E também é muito provável que qualquer que seja o resultado do campeonato ambos se classifiquem para a Libertadores. Isso porque o Banfield é o quarto colocado na tabela de pontos acumulados. Se for campeão do Apertura, o Taladro abre a vaga para o quinto colocado, que é justamente o Newell’s. San Lorenzo, Independiente e Rosario Central, nesta ordem, possuem chances muito remotas.


En el camino de los brazucas


Caso as coisas terminem como estão no Brasil e na Argentina. O Flamengo poderia ter como adversário no Grupo 8 o Lanús, que jogaria a pré-Libertadores contra um clube do Chile. O Internacional poderia pegar no Grupo 5 o Banfield, que jogaria a eliminatória contra um time equatoriano. Já o Newell’s, se confirmar o título do Apertura, cairá no Grupo 6, junto com Nacional, do Uruguai, Morelia, do México, e uma equipe do Equador ainda indefinida. Por fim, o Colón mantendo a sua posição, ficaria no Grupo 4, ao lado de Blooming, da Bolívia, um clube peruano e o vencedor do confronto entre o Deportivo Táchira, da Venezuela, e uma equipe paraguaia.
Por Raphael Martins

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

CARIOCA 2010: PARADA TÉCNICA OBRIGATÓRIA


Olá blogueiros. Nesta segunda-feira eu participei do evento de comemoração dos 30 anos da SAFERJ (Sindicato dos atletas de futebol), realizado na churrascaria Porcão Rio´s, na Zona Sul carioca. Estiveram presentes vários ex-jogadores e alguns profissionais em atividade, como o goleiro Fernando Prass e o meia Carlos Aberto, ambos do Vasco da Gama. Antes de contar algumas novidades apuradas no evento, queria avisar que no fim dessa semana vou postar uma entrevista exclusiva com Carlos Alberto.

Vamos as noticias apuradas na festa. Segundo o presidente da SAFERJ, Alfredo Sampaio, o campeonato carioca do ano que vem terá de forma oficial a parada técnica. As equipes terão direito de pedir o tempo de descanso uma vez em cada tempo.

**********************************

O presidente do Vasco, Roberto Dinamite, confirmou que o atacante Elton não vai continuar no clube na próxima temporada. O jogador pertence ao São Caetano, que já estuda varias propostas. Dinamite também deixou claro que não foi por motivos financeiros que Dorival Jr saiu do Vasco. Por outro lado, o presidente deu a entender que a relação entre as partes estava desgastada.

**********************************

Segundo a assessoria da Portela, Petkovic vai desfilar na escola de samba no próximo carnaval. O craque Rubro-Negro vai atravessar a avenida em cima de um carro especial. Tudo isso deve ser oficializado durante a coletiva de imprensa que o “Gringo” vai conceder na quadra da escola após o Brasileirão. Pet vai viajar para Sérvia na semana quem vem (dia 8 ou 9 de dezembro) e retorna ao Rio no dia 8 de janeiro.

**********************************

Por fim, o maestro Júnior, comentarista da Rede Globo e capitão do último título brasileiro do Flamengo em 92, afirmou que votou em Andrade para técnico do Brasileirão 09 e em Diego Tardelli como craque da competição. Mas a justificativa do “capacete” foi no mínimo estranha.

“Voto no Tardelli porque foi o jogador mais importante do Atlético-MG quando a equipe mais precisou”.

Calma aí! O Galo despencou de terceiro para sexto nas últimas quatro partidas (quatro derrotas). Exatamente no período onde o atacante teve seu pior momento. Diego Tardelli marcou apenas um gol nessas quatro partidas. Enfim, o maestro tem crédito.

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Uma semana para o título - Capítulo 1

Em todos os meus textos neste blog nunca fiz questão de dizer qual é o meu time. Não por medo ou insegurança, mas por que tento separar ao máximo minhas análises sem misturar com paixão clubística. Mas desta vez é diferente. Nos meus 24 anos de vida, considerando que tinha apenas oito anos quando o Flamengo foi campeão brasileiro pela última vez, nunca o vi chegar tão próximo quanto desta vez.

Além de acabar com uma fila que já dura 17 anos, o rubro-negro carioca pode escrever a história conquistando o troféu depois de assumir a liderança pela primeira vez na penúltima rodada, naquele que será lembrado como o mais equlibrado campeonato já visto até então. Considerando tudo isso, resolvi que gostaria de fazer parte desta possível conquista, de alguma forma que seja lembrada durante muitos anos, e para isso farei um diário de sete dias sobre a semana que cerca a grande decisão, começando nesta segunda, com este texto, e terminando no domingo, dia 6, com outro sobre um grande título ou uma grande decepção.

Para começar, então, desenharei o cenário que encontramos depois da penúltima rodada, em que o Flamengo é lider, com dois pontos a mais que Inter, Palmeiras e São Paulo. Apesar de quatro grandes times estarem envolvidos nesta briga, um outro gigante do futebol brasileiro, que não quer mais nada no campeonato, tomou conta dos noticiários esportivos. Trata-se do Grêmio, último adversario do Flamengo e maior rival do Inter.

Alguns jogadores do tricolor gaúcho já deixaram claro que não estão com a mínima disposição de vencer o jogo e, mesmo com veementes negativas do presidente, parece que a diretoria e a comissão técnica podem mandar um time mesclado de juniores e reservas, contra 100 mil flamenguistas completamente alucinados. Mas analisando com calma, não acredito que o Grêmio entregue o jogo, mas é inegável que não terá a mesma disposição. Rivalidade Gre-Nal é coisa séria, e vencer um jogo e ver o maior rival rindo e agradecendo por ter dado o título de bandeja não me parece o cenário mais realista. Mas bo futebol é sempre bom esperar o próximo capítulo.

Amanhã trago mais movimentos de uma semana decisiva para muitos brasileiros.

Um passo do paraíso

Análise rápida desse domingão de futebol. Com a vitória sobre o Corinthians e o tropeço do São Paulo, o Flamengo está a um passo de ser hexacampeão brasileiro. Só não será se não quiser. No próximo domingo, diante de um Maracanã repleto de torcedores ávidos por uma conquista que não vem há 17 anos, o time precisa de um triunfo simples sobre o Grêmio para levantar a taça.

Independentemente da postura do Tricolor Gaúcho na última rodada, esse título, se vier, é mais do que merecido para uma equipe que chegou a estar no 14º lugar, totalmente desacreditada por todos, inclusive pela própria torcida. Será merecido por causa de Andrade, que quando efetivado foi questionado, mas provou que é muito capaz no comando dos jogadores. Merecido também pela volta por cima do Zé Roberto, do Petkovic, do Adriano...

Enfim, uma conquista para tirar da garganta de 35 milhões de torcedores um grito que está entalado desde 1992.

Rapidinhas:

- O Fluminense não pode cair. O time não merece, o Cuca não merece e, principalmente, a torcida tricolor não merece. Uma recuperação e uma união jogadores/arquibancada que arrepia e emociona a cada partida, mesmo a quem não torce pelo clube. Mas que o time não ache que já se livrou, pois ainda há uma última rodada, na qual joga fora de casa contra um adversário direto, o Coritiba.

- O Botafogo só depende dele, apesar de estar no Z-4. Enfrenta o Palmeiras, em casa, e É DEVER DE TODO BOTAFOGUENSE LOTAR O ENGENHÃO DOMINGO QUE VEM. Alvinegros, mirem-se no exemplo do Flu, que ficou 27 rodadas na zona de rebaixamento e conseguiu deixá-la ontem, muito em função do apoio incondicional dos seus seguidores.

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Fla sem Adriano: e agora?

Os rubro-negros ainda não devem estar acreditando que logo nesse confronto diante do Corinthians não poderão contar com o artilheiro do campeonato. Uma queimadura no pé esquerdo tirou o Imperador da partida decisiva deste domingo e a apreensão tomou conta dos torcedores. Bruno Mezenga será o titular no ataque ao lado de Zé Roberto.

Claro que Adriano fará falta. E muita. Não só pelos gols, mas também pelas inúmeras jogadas que cria, por manter sempre os zagueiros presos na sua marcação, liberando os companheiros... Mas se olharmos os números do Flamengo com e sem o atacante, a diferença não é tão grande.

Adriano jogou 28 vezes nesse campeonato. Desses jogos, o Flamengo venceu 14, empatou 7 e perdeu 7. São 58,3% de aproveitamento. Sem o Imperador, foram 8 partidas, com 3 vitórias, 3 empates e 2 derrotas. Aproveitamento de 50%.

Portanto, pelo menos nos números, a desvantagem rubro-negra não será tão grande. Mas com certeza o prejuízo dentro de campo e até fora, já que Adriano vinha sendo um líder no grupo, será enorme.

Resta aos torcedores confiar que o time possa suprir sua ausência e torcer para que Bruno Mezenga desencante.

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Desastre tricolor

Amigos do Passando a Bola, peço desculpas por minha ausência, mas ultimamente tenho trabalhado bastante e estudado mais ainda, portanto fica difícil arrumar tempo para escrever aqui no blog, por mais que estejamos com muitos assuntos rolando no mundo futebolístico.

Rapidamente falando sobre o que aconteceu ontem em Quito. Confesso que esperava uma derrota do Fluminense, já que o time vem de uma sequência exaustiva de partidas e tinha pela frente uma boa equipe da LDU, além da sempre falada e temida altitude. Seria muita pretensão acreditar que um elenco limitado como o tricolor poderia aguentar "decisões" em duas competições toda quarta e domingo. Uma hora esse momento mágico haveria de ruir. Mas o que vimos nesta quarta foi um verdadeiro atropelamento.

Tirando os segundos iniciais, quando abriu o placar, o Flu quase não criou e foi facilmente envolvido pelos equatorianos. Impressionante o ritmo alucinante que joga a Liga. Além dos 11 jogadores, um time de 8 gandulas também ajuda bastante do lado de fora, devolvendo a bola para o campo com extrema rapidez e eficiência. Durante os 90 minutos, os donos da casa correram, pressionaram, jogaram bolas na área e chutaram com muita precisão ao gol de Rafael.

O goleiro tricolor, aliás, falhou, na minha opinião, em dois gols. No primeiro, a bola foi em cima dele e, por mais que na altitude ela ganhe uma velocidade absurda, dava para ter defendido. No terceiro gol, na cabeçada de Mendez, Rafael pareceu não crer que a bola iria entrar e quando se deu conta de que estava errado, era tarde demais para tentar uma defesa.

Mas o ponto que fica é: como será que os jogadores do Fluminense vão reagir a este revés? Não podemos esquecer que o time vinha de uma invencibilidade de 13 partidas e de 8 vitórias seguidas. Isso pesa ainda mais após essa derrota, já que, além de praticamente decretar mais um vice-campeonato para a LDU, interrompe uma ideia de que o Tricolor parecia imune à derrotas e, consequentemente, ao rebaixamento.

Os jogadores e a torcida têm que esquecer a partida de ontem e a Sul-Americana, focando somente no jogo contra o Vitória, domingo, que pode tirar o clube da zona de rebaixamento. Quarta que vem, no Maracanã, na partida de volta diante dos equatorianos, Cuca deve escalar reservas e poupar o time para o grande objetivo deste final de ano, que é escapar da Série B.

Eu acho que ainda dá. Mas continuo acreditando, como escrevo há muito tempo, que o Fluminense será rebaixado. Uma pena, pelo que o time vinha jogando até ontem e pelo exemplo que a torcida vem dando.

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

TALADRO IMPARABLE

O Torneio Apertura pode ter um campeão inédito. Com 15 rodadas disputadas, o Banfield segue firme na liderança do campeonato, agora de maneira isolada. O Taladro alcançou a primeira colocação com a vitória sobre o Independiente por 2 a 1 e se beneficiou do empate em 2 a 2 no clássico rosarino entre Newell’s Old Boys e Rosario Central. O Banfield tem 35 pontos, enquanto o Newell’s tem 33.

O Passando a Bola entrevistou o presidente do líder do Torneio Apertura, Carlos Portell (foto), que além de dirigir o clube desde 1998 é tesoureiro da AFA.

PB: Como o senhor está vivendo esse momento, com o Banfield quase campeão e com vaga praticamente assegurada na próxima Libertadores?

Carlos Portell: É um momento fantástico. Estamos escrevendo a nossa História. É o prêmio por um trabalho feito com seriedade e simplicidade.

PB: Qual seria o impacto para o futebol argentino se nenhum dos cinco grandes chegar à Libertadores? Representa uma renovação do futebol argentino?

CP: Isso mostra que estão se igualando as possibilidades, tanto dos times grandes quanto dos times menores. É uma mostra de que estamos tendo um campeonato mais equilibrado e também mais transparente. Atualmente um time pequeno pode sonhar tanto quanto um clube dito maior.

PB: Equipes como Banfield, Colón, Lanús e Huracán estão em condições de manter a regularidade e participar com mais freqüência de torneios internacionais?

CP: Considero que sim, porque todos esses clubes estão trabalhando bem e de maneira muito forte, as suas divisões de base. No nosso caso, as divisões de base suprem quase a totalidade do plantel que disputa a Primeira Divisão.

PB: Pode-se dizer que neste momento o trabalho realizado pelos dirigentes do Banfield é mais eficiente e serve de exemplo para os grandes? Existe alguma diferença entre a forma de trabalhar do Banfield com a de River e Boca?

CP: Não conheço a maneira de trabalhar de River e Boca, porém considero que o trabalho realizado pelo Banfield está dando resultados positivos. A receita é simples. Trabalhar bem com as categorias de base, ao mesmo tempo, sempre que um desses jogadores vai para o time principal fazemos um contrato de três anos, de forma a dificultar suas saídas. O jogador só sai no caso de uma venda eventual e vantajosa para o Banfield. Ao mesmo tempo, investimos na estrutura do clube, como remodelação do estádio e também na parte social. Os sócios também representam grande fonte de receita para o clube.


Nota da redação

A receita é simples mas com certeza é mais fácil de ser aplicada a um clube como o Banfield, com poderes centralizados na figura de uma pessoa. O Taladro não tem em seu interior disputas políticas internas, como existem nos clubes de maior apelo popular.

Resultados da 15ª rodada: Estudiantes 3 x 1 Tigre; Lanús 3 x 0 Colón; Huracán 0 x 2 San Lorenzo; Atlético Tucumán 2 x 1 Chacarita; Independiente 1 x 2 Banfield; Newell’s 2 x 2 Rosario Central; Boca 4 x 0 Gimnasia; Godoy Cruz 1 x 1 River; Argentinos 1 x 1 Arsenal; Vélez 4 x 2 Racing

Classificação: Banfield 35, Newell’s 33, Estudiantes 29, Colón 28, Vélez 27, Independiente, Rosario Central e San Lorenzo 26, Boca 23, Argentinos 22, Lanús 21, Arsenal 20, Atlético Tucumán 15, River e Godoy Cruz 14, Gimnasia 13, Racing e Chacarita 11, Huracán 10 e Tigre 8.

Por Raphael Martins

BARÇA VENCE E MOSTRA FORÇA DO ELENCO

Com uma atuação de incontestável superioridade, o Barcelona derrotou nesta terça-feira a Inter de Milão, no Camp Nou, e assumiu a liderança do Grupo F da Liga dos Campeões. Piqué e Pedro fizeram os gols nos 2 a 0 do time catalão, que jogou sem Ibrahimovic e Messi, machucados. Com o resultado, o Barça chegou a oito pontos e pode até perder por um gol o último jogo da fase de grupos, dia 9, contra o Dínamo, em Kiev, que ainda assim se classifica às oitavas de final. A Inter de Milão (seis pontos) também segue dependendo apenas de si: se vencer o Rubin Kazan, no mesmo dia, no San Siro, avança sem depender do resultado da partida na Ucrânia. O Rubin também soma seis pontos e se classifica se bater o Inter. Ao Dínamo (cinco pontos), resta vencer o Barça por 2 a 0 ou por mais de dois gols, ou conseguir uma vitória simples e torcer por um empate entre Inter e Rubin.

terça-feira, 24 de novembro de 2009

Rodada decisiva na Liga dos Campeões da UEFA

Olá blogueiros. Hoje tem Liga dos Campeões da UEFA! A 5ª rodada da primeira fase, começa com seis equipes classificadas por antecipação (Bordeaux, Manchester United, Chelsea, Porto, Sevilla e Lyon) e mais nove times podem se garantir nesta rodada.

Um desses times é a Inter de Milão, que enfrenta o Barcelona, atual campeão da Europa, fora de casa. Os italianos possuem seis pontos na ponta do Grupo F. Já o Barça, está na terceira posição com cinco pontos. Os espanhóis não vão contar com seus dois principais jogadores (Messi e Ibrahimovic), dois sérios desfalques para um confronto tão decisivo. No caso de derrota dos catalãs e vitória do Rubin Kazan, que recebe o Dínamo de Kiev, o Barcelona será eliminado da competição com uma rodada de antecedência. Um vexame para a história do clube espanhol.

Espero uma Inter fechadinha no estilo José Mourinho. Os líderes do Cálcio chegam completos e com Samuel Eto´o, Bi-Campeão europeu com o Barça, no comando de ataque. O holandês Wesley Sneijder, ainda recuperando-se de um estiramento na perna direita, retorna ao time. Os brasileiros Júlio César, Lúcio e Maicon estão confirmados. O Barcelona também vai contar com seus brasileiros. Daniel Alves e Maxwell (entra na vaga de Abidal), estão confirmados. Além das ausências de Messi(foto), Ibra e Abidal, o volante Yayá Toure também está fora por motivos de saúde.

Acredito na vitória dos italianos, que vão abusar dos contra-ataques, em cima dos espanhóis. É apenas um palpite, respaldado nas últimas apresentações do Barça na Liga dos Campeões, e lógico, pelos desfalques de suas estrelas. Mas por se tratar de uma grande equipe pode se superar e conquistar os três pontos.

Confiram os possíveis classificados desta rodada do meio de semana:

Ter, 24/11/2009

Rubin Kazan (se vencer e o Barça perder, se classifica) x Dínamo de Kiev
Debrecen x Liverpool
Barcelona x Inter de Milão (vitória garante classificação)
Rangers x Stuttgart
Unirea Urziceni (vitória garante classificação) x Sevilla
AZ Alkmaar x Olympiacos
Arsenal (vitória garante classificação) x Standard Liège
Fiorentina (vitória garante classificação) x Lyon

Qua, 25/11/2009
CSKA Moscou x Wolfsburg (vitória garante classificação)
Bordeaux x Juventus (vitória garante classificação)
Bayern de Munique x Maccabi Haifa
Man. United x Besiktas
Real Madrid (vitória garante classificação) x FC Zurich
Milan (vitória garante classificação) x Olympique de Marselha
Porto x Chelsea
Apoel x Atlético de Madri

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Análise do Blog: 36ª rodada do Brasileirão


Olá blogueiros e internautas da grande rede! Sinto informar, mas não exibiremos a nossa tradicional mesa redonda. O estúdio da PUC está ocupado com a realização de trabalhos para o fim do período. Esperamos retornar na semana que vem com as análises da 37ª rodada.

Mesmo assim, eu vou postar aqui as minhas impressões dessa 36ª rodada do Brasileirão. Começando com a briga pelo título. Que sorte foi essa que o São Paulo teve em? O tricolor paulista foi até o Engenhão encarar um Botafogo desesperado para fugir do rebaixamento. Se não bastasse a motivação do adversário, o Sampa ainda não contava com cinco jogadores (André Dias, Hugo, Dagoberto, Borges e Jean).

E toda preocupação se concretizou. O líder perdeu por 3 a 2 em tarde inspiradíssima do atacante botafoguense Jobson. O garoto marcou dois belos gols (o primeiro e o terceiro), deu passe para o gol de Renato e ainda foi expulso. Para o fogão tudo ótimo. Agora é pensar no Atlético-PR, adversário da próxima rodada na Arena da Baixada. Para o São Paulo, fica a preocupação de não ter conseguido manter a vantagem (1x2) obtida ainda no início do segundo tempo, e por mais uma expulsão (Richarlyson). Menos mal, porque o Flamengo deu uma escorregada no Maracanã. Agora o Tricolor tem um ponto a mais que o Rubro-Negro carioca, faltando duas rodadas.

No Maracanã, o Flamengo deu mole! Com uma festa impressionante preparada por mais de 80 mil torcedores, o time sentiu a responsabilidade e jogou com o peso da ansiedade. Os cariocas entraram em campo sabendo da derrota do São Paulo e jogaram com o nervosismo de abrir o placar de qualquer forma. Na primeira etapa o Goiás se aproveitou disso e foi até superior. Na segunda etapa o Flamengo apertou os goianos no campo defensivo e só não abriu o placar por causa da disposição da zaga do Goiás. Que vontade demonstrou a equipe do técnico Hélio dos Anjos. Além do bom desempenho da defesa goiana, Adriano não esteve nos seus melhores dias e isso pesa muito.

Pelo lado Rubro –Negro, o destaque foi o volante Willians e o lateral-direito Léo Moura. Agora os cariocas vão torcer pelo algoz deste domingo. Na próxima rodada o Goiás recebe o São Paulo no Serra Dourada. Uma derrota ou empate dos paulistas e uma vitória Rubro-Negra, em Campinas, em cima do Corinthians, colocam o Fla na liderança faltando uma rodada para o fim. E a guerra de nervos já começou. O técnico Andrade já pediu o mesmo empenho do Goiás no próximo jogo contra o São Paulo. “Se o Goiás jogar do jeito que jogou aqui, com certeza vai tirar pontos do São Paulo”. Declarou o treinador Rubro-Negro depois da partida. Segue a batalha entre Freddy e Jason.

Antes de falar de mais uma vitória do Fluminense, só um destaque para o Internacional. Os gaúchos venceram por 1 a 0, o Atlético-MG em pleno Mineirão. Com a vitória o colorado assumiu a terceira posição e está há três pontos do líder São Paulo e há dois do Flamengo. Olho no Inter, nas próximas duas rodadas eles encaram o Sport (rebaixado), na Ilha do Retiro e o Santo André no Beira-Rio. Detalhe o casamento entre a torcida do galo e o time parece encerrado. Após a derrota de onte a equipe saiu de campo ouvindo os gritos de "timinho". O Atlético está com pinta de ficar de fora até da Libertadores.

E falando em zona do rebaixamento, o Fluminense venceu mais uma, a quinta seguida neste Brasileirão, e dessa vez a vitima foi o rebaixado Sport. Os cariocas passaram por cima dos pernambucanos por 3 a 0. Mais uma vez o atacante Fred deixou sua marca (onze gols em doze jogos). Agora o Fluzão só depende das suas próprias forças para escapar do rebaixamento. Na próxima rodada, o Fluminense recebe o Vitória no Maracanã. A minha desconfiança de outrora na salvação do Fluminense, agora caiu por terra. Tenho que admitir, o Fluzão não cai! Vai acabar sobrando para os paranaenses. Quarta-feira, o time enfrenta a LDU, em Quito, pela primeira partida da final da Copa Sul-Americana.

Craque da 36ª rodada:
Jobson (atacante do Botafogo)
Gol mais bonito:
Neymar (Santos 4x0 Coritiba)


sexta-feira, 20 de novembro de 2009

Até quando seremos complacentes com a injustiça?

Como amante do futebol, não consigo admitir que o esporte mais popular do mundo ainda esteja também entre os mais antiquados. Geralmente os pais quando querem que os filhos parem de fazer bagunça usam aquela antiga frase: "vai fazer isso até se machucar, ai vai parar". Se usássemos isso para o futebol, não serviria mais, já que esse já se machucou muito e muitas vezes.

O inacreditável erro da vez foi a mão do atacante francês Henry, que deu a vexatória classificação para a seleção francesa para jogar a Copa da África. A solução para esse erros grotescos é simples, usar a ajuda da tecnologia. Mas por que os velhinhos da Fifa relutam tanto em utilizá-la.

São três os principais argumentos que ouço dos que são contra o seu uso. Primeiro que o futebol é um esporte que não pode ser parado o tempo todo. Segundo que não se pode jogar um futebol diferente em dois lugares, um com e outro sem tecnologia. E por fim, que a injustiça e os erros fazem parte e é o que dá conversa de bar no dia seguinte.

Então vamos por partes. O tênis e o futebol americano são os principais exemplos de esportes que introduziram o uso de recursos tecnológicos para analisar o lance, e ambos são esportes que param muito. Tudo bem, até ai concordo. Mas a ideia não é parar o tempo todo, os erros sempre irão existir, como ainda existem nos esportes citados, temos é que diminuir os erros grotescos. Quando um atacante faz um gol de mão e todos os onze jogadores adversários levantam a mão ao mesmo tempo, deve ter alguma coisa errada. Três míseros minutos podem ser paralisados para evitar uma injustiça monumental usando uma câmera de TV.

Alguns dirão que todo mundo vai pedir que analise a câmera o tempo todo. Simples, basta penalizar o time que pediu para rever o lance, que na verdade não havia nada errado na decisão do juiz. Se a dúvida persistir mesmo na imagem, então paciência, segue o jogo sem penalisar ninguém. Assim só irão pedir revisão do lance quando tiverem certeza. Qual a pena aplicada nesse caso ai é outra discussão.

Que não se pode jogar futebol diferente em dois lugares também é pura palhaçada. Quer dizer então que se montarmos uma liga de futebol americano no Brasil ela será proibida porque não temos câmera. O que não pode é dentro do mesmo campeonato utilizar em um jogo e em outro não, ai sim está a injustiça. Mas deve ser definido antes da disputa se existe a possibilidade de utilizar um determinado número de câmeras em todos os jogos.

E por fim, essa história de ter assunto no dia seguinte é inacreditável. E onde está a justiça, não lutaremos mais por ela? No momento em que o Henry coloca a mão na bola e tira a Irlanda de um mundial, ele está dando um tapa na cara de milhões de irlandeses que sonhavam em disputá-la, e sem o menor remorso. É o velho "que se danem eles, eu quero é me dar bem". E ainda tem a cara de dizer que não fez mais do que a sua obrigação, que o juiz que tinha que marcar. Ou seja, vencer de forma limpa não é mais motivação para os jogadores, o que importa é levar a taça, mesmo completamente suja? Para acabar com esses jogadores sem um pingo de ética temos que utilizar as imagens e chips nas bolas.

Tenho pena dos que acham lindo a Argentina ser campeã com um gol de mão. Acho importante a Argentina ser campeã, mas que seja de forma limpa e que os adversários reconheçam a superioridade no campo, com certeza o prazer da vitória será maior. O caso do Henry deixou claro que a falta de respeito e ética nos gramados chegou em níveis alarmantes, e não será com treinamentos e investimentos em árbitros que consertaremos isso. Quando não tínhamos alternativas de consertar erros, tudo bem, acontece e errar é humano, mas é pra frente que se anda e o mundo corre rumo ao progresso, o futebol não, anda para trás.

Repescagem Européia: Polêmica e Zebra

Olá blogueiros. Semana passada, eu escrevi aqui neste espaço meus palpites em relação aos jogos da repescagem européia. Antes de qualquer coisa, eu não tenho bola de cristal! Dito isto, eu me arrasei. Dos quatro confrontos, eu acertei um, logo o jogo mais injusto. A classificação irregular da França com a “MÃO” do atacante Henry (foto). Aproveitamento de 25% nos pitacos. No restante errei tudo, Vamos aos jogos.

Em Paris, a dona da casa levou um sufoco dos irlandeses. O mais justo seria uma vitória por três a zero. Os britânicos foram melhores por toda partida, abriram o placar com Robbie Keane, ainda no primeiro tempo, e quase ampliaram com Duff e novamente com Keane na segunda etapa. Mas a vitória foi por um a zero, dentro do estádio Saint-Denis. Na prorrogação, os franceses partiram para o tudo ou nada e chegaram ao gol da redenção. Mas em um lance absolutamente irregular. Além de haver impedimento, o atacante Henry, que deu o passe para o gol de Gallas, conduziu a bola com a mão antes de passar para o zagueiro do Arsenal (ING). Infelizmente uma campeã do mundo entra pela porta dos fundos na próxima Copa. Está será a 13ª participação da França no maior evento do futebol.

Em Zenica, na Bósnia, Portugal garantiu sua classificação de forma tranqüila. A batalha contra os bósnios só existiu no imaginário da imprensa. Mesmo com os desfalques de Cristiano Ronaldo e Deco, que só entrou no segundo tempo, os patrícios venceram a partida por dois a zero. Sem contar com Misimovic, cérebro da equipe, machucado, a Bósnia dependia da sua dupla de ataque formada por Ibisevic e Dzeko. No meio de campo, Pjanic, jovem atleta do Lyon, tentava criar lances para os dois homens de frente, mas esbarrava na forte marcação do zagueiro Pepe que, mais uma vez, atuou improvisado como volante e jogou muito bem. Com o retorno do melhor do mundo para a disputa da Copa, Portugal pode fazer bonito no mundial. Deco, C.Ronaldo, Simão e Liédson são grandes jogadores. Em um bom momento podem decidir. A classificação teve um sabor especial para o técnico Carlos Queiroz. Ele era o comandante de Portugal nas eliminatórias para Copa do Mundo de 1994. Na época, a equipe da Terrinha perdeu a chance de ir aos EUA ao ser derrotada pela Itália por 1 a 0 em jogo válido pela última rodada do grupo 1. Essa será a 5ª Copa de Portugal.

Já em Donetsk, na Ucrânia, a Grécia derrotou a dona da casa e se garantiu na Copa da África em 2010. Como eu falei esse seria o jogo mais equilibrado e mais chato também. As duas seleções são bem defensivas e apostam nos seus centroavantes. Shevchenko não apareceu e com isso a Ucrânia perdeu seu poder de fogo. Depois de não levar gols em Atenas, eu acreditava na vaga ucraniana. O gol grego foi marcado por Dimitrios Salpingidis (foto), aos 31 do primeiro tempo. A classificação compensa o vexame da Grécia em 2006, quando ficou fora da Copa na Alemanha após ter sido campeã da Eurocopa em 2004. Em sua única participação em Mundiais, a seleção grega fez feio: foi à última colocada do Grupo D da Copa de 1994, com três derrotas, dez gols sofridos e nenhum marcado, contra Nigéria, Bulgária e Argentina.

Por fim, a maior surpresa! Em Maribor, na Eslovênia, a Rússia foi eliminada da Copa. Os eslovenos se beneficiaram com o gol marcado em Moscou. Vale lembrar que o país fazia parte da Iugoslávia até os anos 90. A Eslovênia foi à segunda colocada no Grupo 3, com 20 pontos, ficando atrás da Eslováquia, com 22. A presença na África do Sul será a segunda em mundiais da Eslovênia. Em 2002, após eliminar a Romênia, a seleção do leste europeu caiu no Grupo B. Não pontuou contra Espanha, Paraguai e os próprios Bafana Bafana e terminou na lanterna. Com boas campanhas recentes no Mundial, o técnico Guus Hiddink terá de se contentar em assistir ao torneio de casa. Ele levou a Coreia do Sul às semifinais, em 2002, e classificou a Austrália pela primeira vez para uma oitavas de final, em 2006. Ponto forte da equipe é a defesa. Foi a menos vazada das Eliminatórias européias.

Em fim, os 32 países já estão com passaportes carimbados para a África do Sul: Brasil, Argentina, Paraguai, Chile, Uruguai, México, Estados Unidos, Honduras, Holanda, Espanha, Inglaterra, Grécia, Alemanha, Dinamarca, Sérvia, Itália, Eslováquia, Suíça, Eslovênia, Portugal, França, Coreia do Sul, Coreia do Norte, Japão, Austrália, Gana, Costa do Marfim, Nigéria, Camarões, Argélia, Nova Zelândia e a anfitriã África do Sul.

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

GRANDES ARGENTINOS?

A próxima edição da Taça Libertadores da América pode não ter a participação de nenhum dos chamados “Cinco Grandes Argentinos”. Os maiores clubes do país vizinho (Boca Juniors, Independiente, Racing, River Plate e San Lorenzo) passam por crises técnicas, institucionais e econômicas que acabam resultando em campanhas pífias nos torneios locais. Com isso abrem espaço para clubes que até então eram vistos como meros coadjuvantes.

Na Argentina as cinco vagas para a Libertadores são preenchidas da seguinte maneira: Os campeões dos Torneios Clausura e Apertura do ano anterior, além dos três clubes com a maior soma de pontos no ano. Para 2010 já estão certos o Estudiantes, último campeão da Libertadores, e o Vélez Sarsfield, campeão do Torneio Clausura.


No atual Torneio Apertura, a liderança é compartilhada por Banfield e Newell’s Old Boys, ambos com 32 pontos. Faltam apenas cinco rodadas para o término e o adversário mais próximo na disputa é o Colón, com 28 pontos. Dos cinco grandes o melhor colocado é o Independiente, que tem 26, em quarto lugar, portanto a seis pontos dos líderes.


Já na tabela acumulada do ano o panorama é segue sombrio para os gigantes argentinos. O Colón é o melhor pontuador, com 62. Seguem o clube de Santa Fé o Lanús, com 56, e o Banfield, com 55. O quarto nesta lista é justamente o Newell’s, com os seus 53 pontos acumulados. E os grandes? Bem, Independiente e San Lorenzo são os mais bem colocados, a oito pontos da terceira vaga. O Boca Juniors está a 13 pontos de distância, o Racing a 14 e o River Plate a 15.


Se a tendência se confirmar, será apenas a terceira vez, em 51 anos de disputa, que uma edição da Libertadores não vai contar com pelo menos um do grupo dos grandes argentinos. As outras foram em 1969, quando o Estudiantes foi representante único, e em 1983, quando jogaram Estudiantes e Ferro Carril Oeste.


Resultados da 14ª rodada: Chacarita 0 x 1 Newell’s; Tigre 2 x 0 Godoy Cruz; Banfield 3 x 0 Vélez Sarsfield; Colón 2 x 0 Argentinos Juniors; San Lorenzo 0 x 3 Independiente; River Plate 3 x 1 Atlético Tucumán; Arsenal 1 x 1 Boca Juniors; Racing 1 x 0 Estudiantes; Gimnasia 4 x 1 Huracán; Rosario Central 0 x 0 Lanús.


Classificação: Banfield 32, Newell’s 32, Colón 28, Independiente 26, Estudiantes 26, Rosario Central 25, Vélez 24, San Lorenzo 23, Argentinos 21, Boca 20, Arsenal 19, Lanús 18, Gimnasia 13, River 13, Godoy Cruz 13, Atlético Tucumán 12, Racing 11, Chacarita 11, Huracán 10 e Tigre 8.


Por Raphael Martins