sexta-feira, 29 de maio de 2009

Quem diria, criiise no São Paulo!

E não é que o todo poderoso São Paulo também tem seus dias de turbulência. O tricampeão brasileiro, time com mais tempo com o mesmo treinador, o clube que sabe vender, formar jogador, fazer dinheiro, que tem estádio... enfim, até eles.

É verdade, o São Paulo parecia mesmo inabalável. Mas no futebol não existe isso. Se até mesmo Real Madrid, Milan e outros gigantes têm problemas, o São Paulo também pode ter. Não foi um grande problema, foram apenas algumas declarações mais polêmicas, mas coincide com o time estar há um mês sem vencer e isso pode virar uma bola de neve.

O curioso é que as três declarações polêmicas tiveram um pouco de morde-e-assopra. O presidente Juvenal Juvêncio disse que os jogadores não tiveram competência para ganhar um jogo. Logo em seguida deixou claro que não deixaram de tentar. Depois, Borges disse que não entende porquê está no banco de reservas, mesmo depois de duas artilharias de Brasileirões e cinco gols em cinco jogos da Libertadores. Em seguida, deixou claro que respeita o Muricy e as suas decisões. Pra finalizar, Washington ressaltou que ele tem todo o direito de querer jogar e ficar incomodado. Mas afirmou que isso não pode desestabilizar o grupo.

Borges não está errado. Realmente é estranha a saída dele do time, mas não concordo nunca de expor problemas internos no meio de um monte de jornalistas. Se está insatisfeito, treina melhor e reconquista o espaço. E, claro, para de se jogar e fazer cena em campo.

Detalhe: seu contrato termina no fim do ano e o atacante pode ser um grande reforço pra muito time brasileiro e, até mesmo, do exterior.

3 comentários:

Junior Maurell disse...

Seria o Borges uma espécie de Tevez do São Paulo e o Muricy um Sir Alex Fergunson....Valew Valente

Felipe Vasconcellos disse...

Menos Maurell

Júnior Maurell disse...

Menos pq? Vc não entendeu.. A semelhança está na relação técnico e jogador!!!!