sábado, 30 de maio de 2009

No Engenhão, Botafogo tem a obrigação de ganhar do Sport

Acorda, Fogão. Já se passaram três rodadas e o Botafogo segue em stand by no Campeonato Brasileiro. Não dá para falar que os resultados nas três primeiras rodadas (empate fora com o Santo André e em casa com o Corinthians e derrota para o Grêmio) foram absurdos, mas dois pontos em nove disputados é preocupante. Agora, contra um baleado e desestruturado Sport, imerso em na primeira crise do ano, o time de Ney Franco tem a chance de se recuperar e começar uma arrancada, afinal, os próximos três jogos serão no Rio de Janeiro. O jogo será no Engenhão, nesse sábado, às 18h30.

É inegável a falta que tem feito Maicosuel na criação e na finalização das jogadas alvinegras. Apesar de esforçados, Fahel e Túlio Souza não criam. Já o jovem Rodrigo Dantas pode vir a ser um bom jogador, porém, não é craque a ponto de resolver logo de cara, pelo menos não mostrou esse potencial.

O alento do Glorioso será a volta do seu camisa 10 dos últimos três anos. A estada de Lucio Flavio em Santos não durou muito e ele acabou voltado para General Severiano, onde conhece o clube, os dirigentes, comissão técnica, elenco, torcida e ainda por cima, é compreendido por todos eles.

Já no gol, a volta com boa atuação de Castillo é uma boa notícia para Ney Franco, que também conta com o jovem e qualificado Renan. Com a camisa 1 em boas mãos, ele pode concentrar suas forças para montar a equipe mais consistente e ofensiva, afinal, um gol em três jogos não condiz com o melhor ataque isolado no Carioca.

Falando em gols, a também cria de Marechal Hermes, Laio, deverá aparecer no ataque ao lado de Victor Simões. Ele substitui Reinaldo. O camisa 7 segue lesionado. Que músculo difícil de recuperar...

Apesar de todo modificado, o setor defensivo é onde a confiança, por incrível que pareça, é maior. Com Juninho bem e Eduardo mostrando estar em nova fase e jogando melhor ainda, o setor não vem comprometendo, muito também graças às atuações seguras de Leandro Guerreiro.

No final, o calcanhar de Aquiles. O problema é crônico nas laterais. Alessandro até que defende minimamente bem, mas o único ataque que ele proporciona é o de coração na torcida. Já Thiaguinho, é inconstante e não inspira confiança. Na esquerda, Gabriel tem talento, mas precisa ser lapidado. O teste da vez será com Wellington Júnior. O garoto é destro e meio-campo, mas será o lateral esquerdo. O alento é que ele já exerceu esse papel na base algumas vezes.


Memória:

No Campeonato Brasileiro de 2008, o Botafogo ganhou do Sport duas vezes. Na primeira rodada, no Engenhão, Fogão passou pelo adversário por 2 a 0, com gols de Jorge Henrique e Diguinho.

No jogo de volta, Jorge Henrique marcou na Ilha do Retiro a selou a vitória que colocou o Alvinegro na terceira colocação. Um dos últimos suspiros de esperança em 2008.

Por Ricardo Azevedo

3 comentários:

Felipe Vasconcellos disse...

Ney desistiu do Wellington Junior e deve começar com o Eduardo na esquerda. O Teco entra para fazer a terceira zaga. Está fora de ritmo, mas se jogar o que sabe é titular fácil do Botafogo.

Felipe Vasconcellos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Júnior Maurell disse...

Mesmo com toda experiência do uruguaio Castillo, eu prefiro o Renan. Castillo é baixo e auto-confiante de mais . vejo no Renan um goleiro mais seguro!!