segunda-feira, 13 de julho de 2009

EMPATE COM GOSTO DE DERROTA

A missão do Flamengo neste domingo na capital paulista não era das mais fáceis. O time carioca tinha pela frente um São Paulo que atuava no Morumbi e tinha a obrigação de vencer, já que se encontrava do lado de baixo da tabela. Para completar, o Rubro-Negro chegou para o confronto com cinco desfalques (Juan, Kleberson, Emerson, Toró e Airton), sem contar na ausência de Ibson, que voltou ao Porto. Por isso, Cuca teve que fazer algumas improvisações. Mas o que parecia anunciar uma tarde de derrota garantida, mostrou-se uma partida totalmente a favor do Flamengo.

Logo no início do jogo, um erro bisonho do goleiro Denis colocou os cariocas na frente. O arqueiro chutou errado, a bola sobrou para Adriano, que rolou para Fierro marcar sem goleiro. Um a zero no placar e jogo na mão do Flamengo. Nos minutos seguintes, o Imperador perdeu um gol feito, na marca do pênalti. Mesmo jogando mal, o São Paulo achava alguns espaços na defesa do Flamengo. E em um desses, o meia Marlos recebeu na ponta-esquerda e centrou na área. Welinton não acompanhou e Borges, oportunista, chegou batendo sem chances para Bruno. Empate e promessa de jogão. Ao invés de perder o controle, o Fla continuou marcando em cima e roubando muitas bolas. Depois de retomar a posse de bola, Everton lançou Adriano, que foi com tudo para cima da defesa são-paulina e sofreu pênalti do zagueiro Renato Silva. O próprio Imperador bateu e converteu, mas não comemorou em homenagem ao clube onde jogou no ano passado.

A partida que parecia ser um bicho de sete cabeças, pela força e necessidade de recuperação do adversário e pelos desfalques da equipe carioca, se mostrava totalmente a favor no fim do primeiro tempo. Renato Silva levou seu segundo cartão amarelo e foi expulso ainda antes do intervalo. Porém, no lugar de pressionar o adversário em menor número, o Flamengo se acomodou e perdeu a pegada da primeira etapa. Mesmo assim o Tricolor Paulista não ameaçava. O jogo foi ficando chato e a queda física de alguns jogadores do Flamengo ficou clara. O técnico Cuca se movimentou no fim do segundo tempo e colocou Erick Flores, Jorbison e Petkovic.

As mudanças até deram um gás no Fla, mas a equipe falhou na finalização. No lado paulista, Ricardo Gomes colocou Eduardo Costa e Jorge Wagner e sinalizou um jogo duro no meio e a aposta na bola parada. E essa aposta foi bem recompensada. No fim da partida, o zagueiro Miranda foi levando a bola e só foi parado na entrada da grande área. O lance foi muito questionado pelo Flamengo, que reclamou que a falta ocorreu fora da área. Jorge Wagner não quis nem saber e converteu a penalidade. O novo empate deixou um gostinho de derrota para o Rubro-Negro, que quase voltou a ficar na frente nos acréscimos, com o jovem lateral-esquerdo Jorbison, que perdeu um gol sem goleiro. Depois ainda teve um pênalti não marcado pelo árbitro Ricardo Marques em cima de Washington, que revoltou o atacante e o técnico Ricardo Gomes.

Para o Flamengo fica o conforto de saber que mesmo sem seis titulares, o grupo deu conta do trabalho. Para o São Paulo fica o alerta! O time está sem a competitividade dos outros anos e sem ela ficará difícil chegar ao título novamente. Porém, a reação com um jogador a menos e a disposição apresentada no segundo tempo servem de alento para os torcedores.

2 comentários:

Iskoching01 disse...

great players hah//nice to be writing to all...hello

bogoroh disse...

Flamengo gosta de jogar pontos fora em jogos fáceis... Foi assim contra o cruzeiro na estréia